Impala

Óbito/Soares: CDS-PP destaca “papel único na definição do Portugal democrático Europeu”

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, lamentou a morte do antigo Presidente da República Mário Soares, destacando o seu “papel único na definição do Portugal Democrático Europeu”.

Lisboa, 07 jan (Lusa) — A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, lamentou hoje a morte do antigo Presidente da República Mário Soares, destacando o seu “papel único na definição do Portugal Democrático Europeu”.


“Em muitas alturas, o CDS teve grandes divergências políticas com o dr. Mário Soares, mas não esquecemos o seu papel fundador no Portugal Democrático, especialmente no difícil período revolucionário em que se opôs à hegemonia política e totalitária – e em que, tendo vencido, ajudou a democracia a vencer e a ser consolidada em Portugal”, assinalou Assunção Cristas, numa nota enviada à Lusa.


Falando em nome do partido, Cristas apresentou “sentidas condolências” à família e amigos do antigo Presidente da República.


Mário Soares encontrava-se internado desde o dia 13 de dezembro, tendo sido transferido no dia 22 dos Cuidados Intensivos para a “unidade de internamento em regime reservado” do Hospital da Cruz Vermelha, depois de sinais de melhoria do estado de saúde.


No entanto, no dia 24, um agravamento súbito da situação clínica obrigou ao regresso do antigo chefe de Estado à Unidade dos Cuidados Intensivos.


No dia 31 de dezembro, dia da última atualização feita pelo hospital sobre o seu estado de saúde, Mário Soares continuava em “coma profundo”, mas “estável e com parâmetros vitais normais”.


Mário Soares, que morreu hoje aos 92 anos, desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.



SMS (GC/AL) // JLG



Lusa/Fim


RELACIONADOS

Óbito/Soares: CDS-PP destaca “papel único na definição do Portugal democrático Europeu”

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, lamentou a morte do antigo Presidente da República Mário Soares, destacando o seu “papel único na definição do Portugal Democrático Europeu”.