Impala

Mário Soares: Dezenas de populares e figuras públicas prestam homenagem no Jerónimos

Dezenas de populares e algumas figuras públicas continuavam hoje a entrar no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, para prestar homenagem ao antigo Presidente da República Mário Soares, que morreu sábado aos 92 anos.

Lisboa, 10 jan (Lusa) — Dezenas de populares e algumas figuras públicas continuavam às 09:00 de hoje a entrar no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, para prestar homenagem ao antigo Presidente da República Mário Soares, que morreu sábado aos 92 anos.


Desde que as portas abriram têm sido vários populares que se tem dirigido ao Mosteiro dos Jerónimos, mas também figuras como o juiz Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, o economista e gestor Luís Nazaré e o jornalista António Perez Metelo.


Em declarações à agência Lusa, o juiz Armando Leandro lembrou a determinação de Mário Soares “em garantir” a liberdade e a democracia.


“Vim prestar homenagem ao presidente Mário Soares que admiro pela sua coragem, pelo seu espírito democrático. Um grande defensor da liberdade e dos mais humildes”, disse.


Vários populares trazem consigo rosas, símbolo do Partido Socialista (PS), mas também cravos, vermelhos símbolo da liberdade, que entregam a um elemento da agência funerária que depois as transportam para junto da urna de Mário soares.


As homenagens prestadas no interior da sala dos Azulejos estão a ser transmitidas num écran gigante colocado na parede do Mosteiro dos Jerónimos.


As portas do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, abriram cerca das 08:00 e minutos depois mais de três dezenas de pessoas começaram a entrar para prestar homenagear ao antigo Presidente da República Mário Soares.


Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.


O Governo português decretou três dias de luto nacional, até quarta-feira.


O corpo do antigo Presidente da República está em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos desde as 13:10 de segunda-feira, depois de ter sido saudado por milhares de pessoas à passagem do cortejo fúnebre pelas principais ruas da capital com escolta a cavalo da GNR.


O funeral realiza-se hoje, pelas 15:30, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, após passagem do cortejo fúnebre pelo Palácio de Belém, Assembleia da República, Fundação Mário Soares e sede do PS, no Largo do Rato.


Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares, advogado, combateu a ditadura do Estado Novo e foi fundador e primeiro líder do PS.


Após a revolução do 25 de Abril de 1974, regressou do exílio em França e foi ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, tendo pedido a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e assinado o respetivo tratado, em 1985.


Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.



HN // SB


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Mário Soares: Dezenas de populares e figuras públicas prestam homenagem no Jerónimos

Dezenas de populares e algumas figuras públicas continuavam hoje a entrar no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, para prestar homenagem ao antigo Presidente da República Mário Soares, que morreu sábado aos 92 anos.