Lula saiu do edifício do sindicato para assistir a missa
Impala

Lula saiu do edifício do sindicato para assistir a missa

O ex-Presidente do Brasil Lula da Silva saiu da sede do sindicato metalúrgico onde permanecia desde quinta-feira, depois de ser decretada a sua prisão, para participar numa missa em memória da sua esposa.

São Bernardo do Campo, Brasil, 07 abr (Lusa) — O ex-Presidente do Brasil Lula da Silva saiu hoje da sede do sindicato metalúrgico onde permanecia desde quinta-feira, depois de ser decretada a sua prisão, para participar numa missa em memória da sua esposa.


Luiz Inácio “Lula” da Silva saudou a multidão de apoiantes que está no exterior do edifício do sindicato, em São Bernado do Campo, perto de São Paulo, mas não fez qualquer declaração, desconhecendo-se ainda se pretende entregar-se as autoridades após a missa, como noticiam meios de comunicação social brasileiros.


Os apoiantes do ex-Presidente do Brasil Lula da Silva iniciaram hoje o terceiro dia de vigília em frente do edifício onde se refugiou o político brasileiro condenado por corrupção.


Dezenas de pessoas dormiram mesmo no local e acordaram hoje na expetativa de saber o que vai acontecer a Lula da Silva, depois de ter passado o prazo para se entregar às autoridades (17:00 horas locais de sexta-feira, 21:00 em Lisboa).


O estudante Jamon Dias, de 24 anos, foi uma das pessoas que passou a noite no local para participar naquilo que considera um momento histórico e importante do país.


“Eu estudo política e além da minha simpatia ideológica com o Lula da Silva, achei que era importante participar de um momento histórico do Brasil”, disse à agência Lusa pouco antes de se iniciar uma missa em que está a participar Lula da Silva e a ex-Presidente Dilma Rousseff.


O estudante avaliou que Lula da Silva deve entregar-se à polícia ou ser preso hoje mesmo, acrescentando que a decisão do ex-Presidente de não se entregar voluntariamente foi correta.


“Acredito que foi uma boa escolha ele não se entregar. Um pouco de desobediência civil é uma coisa boa neste momento”, concluiu.


Nas imediações do Sindicato dos Metalúrgicos, onde Lula iniciou a sua carreira política, foi aumentando o número de pessoas no início da manhã de hoje.


Lula da Silva não fala publicamente desde quinta-feira à noite, quando o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela operação Lavo Jato, decretou a sua detenção.


Segundo o jornal Folha de São Paulo, o ex-Presidente do Brasil deverá entregar-se hoje à justiça depois da missa em honra da mulher.


O Globo, por seu lado, deu conta de negociações entre a defesa do ex-presidente e as autoridades brasileiras, noticiando que Lula pode ser preso hoje.


Outra alternativa, afirma o Globo, é Lula ser levado na segunda-feira para Curitiba, cidade onde deveria ter-se entregado á Polícia Federal.


Os advogados do ex-presidente recorreram para o Supremo Tribunal Federal para tentar suspender a ordem de prisão e estão também a tentar negociar que Lula fique em São Paulo e não em Curitiba, noticia o Estadão.


O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do Brasil rejeitou na sexta-feira um segundo pedido de ‘habeas corpus’, apresentado pelos advogados de defesa do ex-Presidente.


Na madrugada de quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) tinha já negado um ‘habeas corpus’ também apresentado pela defesa de Lula da Silva, que visava evitar a sua prisão antes de se esgotarem os recursos na Justiça.


Anteriormente, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já havia também negado um ‘habeas corpus’ preventivo a Lula da Silva, condenado a 12 anos de prisão e um mês por corrupção passiva e branqueamento de capitais.


Na sequência da decisão do STF, o juiz federal Sérgio Moro decretou a prisão de Lula da Silva e deu como prazo as 17:00 de sexta-feira (horário de Brasília, 21:00 em Lisboa), para o ex-Presidente brasileiro se apresentar voluntariamente à Polícia Federal na cidade de Curitiba, no Estado do Paraná, sul do Brasil.


Luiz Inácio Lula da Silva, 72 anos, foi o 35.º Presidente do Brasil (2003-2011).



CYR/MP // MP

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Lula saiu do edifício do sindicato para assistir a missa

O ex-Presidente do Brasil Lula da Silva saiu da sede do sindicato metalúrgico onde permanecia desde quinta-feira, depois de ser decretada a sua prisão, para participar numa missa em memória da sua esposa.