Impala

Desvio de avião líbio termina com rendição dos dois sequestradores – Primeiro-ministro de Malta

Os dois homens que desviaram hoje um avião líbio para Malta já saíram do aparelho e entregaram-se às autoridades, depois de terem libertado todos os passageiros e tripulação, anunciou o primeiro-ministro maltês.

La Valletta, 23 dez (Lusa) – Os dois homens que desviaram hoje um avião líbio para Malta já saíram do aparelho e entregaram-se às autoridades, depois de terem libertado todos os passageiros e tripulação, anunciou o primeiro-ministro maltês.


“Os piratas do ar renderam-se, foram revistados e detidos”, disse Joseph Muscat, na sua conta na rede social Twitter.


O sequestro do avião da companhia líbia Afriqiyah Airways terminou cerca de uma hora depois de 109 passageiros terem saído do avião.


Muscat explicou que no avião, estacionado no meio da pista do aeroporto internacional de La Valletta, estavam 111 passageiros – 82 homens, incluindo os dois piratas do ar, 28 mulheres e uma criança – e sete tripulantes.


O avião efetuava a ligação entre Sebha, no sul da Líbia, e Tripoli.


Durante as negociações, Muscat manteve uma conversa telefónica com o homólogo líbio, Faez al-Serraj.


A Líbia está mergulhada no caos desde o fim do regime de Muammar Khadafi em 2011, com várias milícias a lutarem pelo controlo de diferentes zonas do país.


Forças leais ao governo de união nacional conquistaram recentemente o controlo da cidade costeira de Sirte, que era um bastião do grupo extremista Estado Islâmico desde junho de 2015.


Uma autoridade rival controla a zona oriental do país, com o apoio das forças comandadas por Marshal Khalifa Haftar, que luta contra os extremistas na segunda cidade líbia, Benghazi.



EJ // JMR


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Desvio de avião líbio termina com rendição dos dois sequestradores – Primeiro-ministro de Malta

Os dois homens que desviaram hoje um avião líbio para Malta já saíram do aparelho e entregaram-se às autoridades, depois de terem libertado todos os passageiros e tripulação, anunciou o primeiro-ministro maltês.