Impala

Deputados do PSD sem convite para comemorações do 1.º de dezembro

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, afirmou que o seu grupo parlamentar não foi convidado para marcar presença na cerimónia de comemoração do 1.º de Dezembro, um dos feriados repostos pelo Governo Socialista de António Costa.

Vouzela, Viseu, 02 dez (Lusa) – O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, afirmou hoje que o seu grupo parlamentar não foi convidado para marcar presença na cerimónia de comemoração do 1.º de Dezembro, um dos feriados repostos pelo Governo Socialista de António Costa.


“Não fomos convidados. O grupo parlamentar do PSD não recebeu nenhum convite”, apontou.


À entrada para a sessão de tomada de posse dos órgãos concelhios do PSD de Vouzela, Luís Montenegro sublinhou que hoje em dia é muito fácil criticar a suspensão de feriados levada a cabo pelo Governo PSD/CDS-PP.


“É muito fácil criticar hoje, difícil era tomar opções em 2012”, alegou, destacando que a reposição dos feriados estava prevista para o ano de 2017 e que o Governo socialista de António Costa apenas a antecipou um ano.


Aos jornalistas, Luís Montenegro frisou ainda que nunca pretenderam acabar com os feriados e que a decisão de suspensão dos feriados não foi tomada de ânimo leve.


“Fizemos isto porque fomos obrigados por um Memorando de Entendimento, assinado pelo Partido Socialista e que o PSD e o CDS/PP, quando foram para o Governo, se comprometeram a cumprir”, acrescentou.


No entender do líder parlamentar do PSD, se hoje o país tem condições para a reposição dos feriados, “foi porque alguém fez o percurso de recuperação”.


“Andamos de cara levantada na rua porque sabemos que fizemos o que o país precisava. Todos, incluindo o Presidente da República, para ser mais direto, deviam saber que em 2012 as opções que tomámos não foram de ânimo leve, nem essa”, concluiu.



CMM // APN


Lusa/fim


RELACIONADOS

Deputados do PSD sem convite para comemorações do 1.º de dezembro

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, afirmou que o seu grupo parlamentar não foi convidado para marcar presença na cerimónia de comemoração do 1.º de Dezembro, um dos feriados repostos pelo Governo Socialista de António Costa.