Demissão de Pedro Veiga não foi por causa do Centro Nacional de Cibersegurança

Demissão de Pedro Veiga não foi por causa do Centro Nacional de Cibersegurança

A demissão do coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança não foi por razões relacionadas com esta entidade, disse a ministra da Presidência elogiando o trabalho que desenvolveu.

Lisboa, 10 mai (Lusa) – A ministra da Presidência afirmou hoje que a demissão de Pedro Veiga de coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) não foi por razões relacionadas com esta entidade e elogiou o trabalho que desenvolveu enquanto esteve no cargo.


Questionada no final do briefing do Conselho de Ministros sobre os motivos da demissão, a ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, fez “elogios ao professor Pedro Veiga sobre o trabalho desenvolvido” enquanto coordenador do CNCS.


Segundo Maria Manuel Leitão Marques, a demissão não foi “por razões que tenham a ver com o Centro Nacional de Cibersegurança”.


A demissão de Pedro Veiga tinha sido confirmada à Lusa, na quarta-feira, pelo gabinete da ministra da Presidência e da Modernização Administrativa.


Em entrevista à TSF, Pedro Veiga explicou, entretanto, que abandonou a coordenação do CNCS em rotura com o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmando ter recebido promessas que não foram cumpridas por parte do ministro.


Questionada sobre a notícia de hoje do Diário de Notícias que refere que a demissão de Pedro Veiga foi motivada pela falta de verbas, Maria Manuel Leitão Marques disse não pensar que seja essa a razão na origem da saída do coordenador.


“Naturalmente todos nós gostaríamos de ter mais recursos e aproveito que está aqui o senhor ministro das Finanças ao lado. Todos nós gostaríamos de ter mais recursos para todos os nossos serviços e acho que posso falar em nome de todos os ministros, incluindo do ministro das Finanças”, observou.


Sobre o nome do substituto de Pedro Veiga, a governante adiantou que irá “ser conhecido em breve” e “quando for possível”, ressalvando, contudo, que o trabalho não está em causa.


A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa recordou que “este ano houve um aumento de 20% nos recursos humanos do Centro Nacional de Cibersegurança”.


“A questão da cibersegurança é uma questão que nos preocupa a todos, que vai exigir mais investimento e, sobretudo, mais atenção, não apenas reforçando o Centro Nacional de Cibersegurança, mas em todos os sistemas de informação que temos a funcionar e em que precisamos de ter atenção à prevenção de acidentes neste domínio”, sustentou.


Na quarta-feira, a ministra da Presidência já havia agradecido “o contributo inestimável de Pedro Veiga para o trabalho nesta área, ao longo destes dois anos”.



JF (NS) // VAM


By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Demissão de Pedro Veiga não foi por causa do Centro Nacional de Cibersegurança

A demissão do coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança não foi por razões relacionadas com esta entidade, disse a ministra da Presidência elogiando o trabalho que desenvolveu.