Impala

Bruxelas deve considerar despesas derivadas dos incêndios como “excecionais”

O comissário europeu dos Assuntos Económicos defendeu que as despesas públicas resultantes dos devastadores incêndios em Portugal sejam consideradas como “circunstâncias excecionais”, sem consequências na avaliação orçamental a fazer por Bruxelas.

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, defendeu hoje que as despesas públicas resultantes dos devastadores incêndios em Portugal sejam consideradas como “circunstâncias excecionais”, sem consequências na avaliação orçamental a fazer por Bruxelas.

“Parece-me absolutamente natural que, da mesma forma que considerámos circunstâncias excecionais a ameaça terrorista em certos países da União Europeia ou tremores de terra, como foi o caso em Itália, tenhamos uma abordagem inteligente e humana face às despesas públicas das autoridades portuguesas para fazer face aos incêndios, e que sejam consideradas circunstâncias excecionais no quadro de avaliação do orçamento”, declarou, em Bruxelas.

Moscovici, que falava à imprensa portuguesa após ouvir uma intervenção do primeiro-ministro, António Costa, numa conferência sobre convergência económica na sede do executivo comunitário, garantiu que “a Comissão Europeia está evidentemente mais que sensibilizada” com a tragédia que aflige o povo português, e estará “ao lado de Portugal”, com “uma abordagem inteligente, subtil e flexível das dessas despesas”.

Clique nas imagens e veja também

Bento Rodrigues responde a ministra

Casa de Cristina Ferreira ameaçada pelas chamas

PALOP, euros, moedas, dinheiro

10 moedas de 2 euros valem milhares

Marta Melro muda de visual

Fomos fazer uma tatuagem!

 


RELACIONADOS

Bruxelas deve considerar despesas derivadas dos incêndios como “excecionais”

O comissário europeu dos Assuntos Económicos defendeu que as despesas públicas resultantes dos devastadores incêndios em Portugal sejam consideradas como “circunstâncias excecionais”, sem consequências na avaliação orçamental a fazer por Bruxelas.