Impala

Autárquicas: Passos não exclui coligações com CDS em Lisboa e Porto

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, não excluiu coligações com o CDS-PP para as Câmaras de Lisboa e do Porto, sem se pronunciar sobre um eventual apoio social-democrata a Assunção Cristas.

*** Serviço áudio e vídeo disponíveis em www.lusa.pt ***



Sintra, 22 dez (Lusa) — O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, não excluiu hoje coligações com o CDS-PP para as Câmaras de Lisboa e do Porto, sem se pronunciar sobre um eventual apoio social-democrata a Assunção Cristas.


À margem do encontro anual do Conselho da Diáspora, que decorre em Cascais, o líder do PSD foi questionado se não exclui um apoio à líder do CDS-PP, que já anunciou a candidatura a Lisboa nas próximas autárquicas, tendo respondido que os centristas e os sociais-democratas “são parceiros preferenciais” e por isso já celebraram um acordo muito semelhante a outros feitos em eleições autárquicas passadas.


“Se por ventura não for possível virmos a ter uma coligação com o CDS em Lisboa e no Porto, isso não quer dizer que não sejamos, na mesma, parceiros naturais”, acrescentou, sem se pronunciar em concreto sobre negociações entre os dois partidos para um eventual apoio a Cristas, que foi noticiado por alguns jornais no passado fim de semana.


O presidente do PSD assegurou que o partido não fará “caixinha” sobre o candidato à Câmara de Lisboa, assegurando que quando houver, “a comunicação social saberá”.


“Quando tivermos uma candidatura em Lisboa, como nos outros sítios, isso será público, não faremos caixinha disso”, prometeu.


Passos Coelho afirmou que não estar “preocupado nesta fase com isso”, uma vez que aquilo que é preciso é “apresentar alternativas sérias àquilo que é a governação socialista em muitas dessas câmaras”.


O líder do PSD foi ainda questionado pelos jornalistas sobre a entrevista à Antena 1 do antigo presidente da Câmara de Coimbra Carlos Encarnação, que defendeu a realização de um congresso extraordinário no partido.


“Se não levarem a mal nunca comento a vida interna do PSD e não vou abrir aqui uma exceção”, disse apenas, escusando-se a responder.


Na segunda-feira, a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, escusou-se a comentar eventuais negociações autárquicas em Lisboa com o PSD, afirmando que “o tempo dirá” como “as coisas correm”.


“O CDS tem o seu caminho definido há muito tempo, disse desde a primeira hora que não dependia de ter ou não ter o apoio do PSD, também disse desde a primeira hora que se o PSD entender que aqui há um projeto mobilizador, ganhador para a cidade, e quiser trabalhar em conjunto, certamente que nós estamos disponíveis”, afirmou então.


Questionada sobre o Porto, Assunção Cristas sublinhou que desde o Congresso do CDS-PP, em março, que os centristas assumiram uma “posição extremamente clara”, de reiterar o apoio ao independente e atual presidente da Câmara Rui Moreira.



JF (ACL) // SMA


Lusa/fim


RELACIONADOS

Autárquicas: Passos não exclui coligações com CDS em Lisboa e Porto

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, não excluiu coligações com o CDS-PP para as Câmaras de Lisboa e do Porto, sem se pronunciar sobre um eventual apoio social-democrata a Assunção Cristas.