Homem morre após cigarro electrónico explodir no rosto

Homem morre após cigarro electrónico explodir no rosto

Nos últimos anos, as autoridades registaram cerca de 200 casos de explosões de cigarros electrónicos

Tallmadge D’Elia, um homem de 38 anos, morreu no passado sábado, dia 5 de maio, depois de um cigarro electrónico ter explodido na sua cara. O caso passou-se na Flórida, nos Estados Unidos.

LEIA MAIS: GNR apreende 2,5 milhões de cigarros e detém quatro pessoas

De acordo com a polícia de Saint Petersburg, inicialmente, o alerta do incidente foi feito por um vizinho da vítima que deu conta de um pequeno incêndio na casa de Tallmadge. No entanto, quando as autoridades chegaram ao local deparam-se com o homem já sem vida, com várias lesões no rosto e um cigarro electrónico explodido na mão.

Um relatório realizado pela Federal Emergency Management Agency revela que, entre 2009 e 2016, foram registados cerca de 196 casos de explosões deste aparelhos electrónicos, nos Estados Unidos. A investigação ainda garante que a maioria das explosões ocorreu quando os dispositivos estavam no «bolso ou a serem usados».

Os cigarros electrónicos têm uma bateria de lítio, que aquece muito facilmente.

VEJA MAIS: VÍDEO: Neto maltrata a avó de 96 anos após oferecer cigarros e soprar-lhe droga


RELACIONADOS

Homem morre após cigarro electrónico explodir no rosto

Nos últimos anos, as autoridades registaram cerca de 200 casos de explosões de cigarros electrónicos