Impala

Governo não pediu à Grécia para privilegiar yazidis e aceita “todos os refugiados” – MNE

O Governo português garantiu estar disponível para acolher “todos os refugiados” e não ter pedido à Grécia para privilegiar a comunidade yazidi, desconhecendo qualquer intenção de Atenas de bloquear a transferência destes refugiados para Portugal.

Lisboa, 25 jan (Lusa) – O Governo português garantiu hoje estar disponível para acolher “todos os refugiados” e não ter pedido à Grécia para privilegiar a comunidade yazidi, desconhecendo qualquer intenção de Atenas de bloquear a transferência destes refugiados para Portugal.


“Portugal não dirigiu nenhum pedido à Grécia para privilegiar, fosse a que título fosse, um conjunto étnico dentro do contingente de refugiados que Portugal se disponibilizou a acolher”, disse hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, na sequência de uma notícia divulgada pela agência Associated Press de que as autoridades gregas teriam rejeitado o pedido de Portugal para acolher refugiados da comunidade yazidi.


O governante referiu que já esta manhã contactou o embaixador português em Atenas e não há “nenhuma informação da parte das autoridades gregas”.


“Não confirmo que haja qualquer declaração das autoridades gregas no sentido de impedir, de qualquer forma, a vinda de cerca de 38 yazidis de que estamos à espera nos próximos tempos”, assegurou o chefe da diplomacia.


Portugal, garantiu, “acolhe todos os refugiados, independentemente de etnia, de raça, de cor, de qualificação, de género ou de orientação” e já recebeu “mais de 700 refugiados”, não praticando nem pedindo para praticar “nenhuma espécie de discriminação, restrição ou diferenciação”.



JH.

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Governo não pediu à Grécia para privilegiar yazidis e aceita “todos os refugiados” – MNE

O Governo português garantiu estar disponível para acolher “todos os refugiados” e não ter pedido à Grécia para privilegiar a comunidade yazidi, desconhecendo qualquer intenção de Atenas de bloquear a transferência destes refugiados para Portugal.