Impala

Turismo em Macau ficou mais barato pelo segundo ano consecutivo em 2016

O turismo em Macau ficou mais barato em 2016, com o índice que reflete a variação de preços dos bens e serviços adquiridos pelos visitantes a recuar pelo segundo ano consecutivo.

Macau, China, 14 jan (Lusa) — O turismo em Macau ficou mais barato em 2016, com o índice que reflete a variação de preços dos bens e serviços adquiridos pelos visitantes a recuar pelo segundo ano consecutivo.


O Índice de Preços Turísticos (IPT) sofreu uma diminuição de 5,44% no cômputo do ano passado em termos homólogos, prolongando a tendência decrescente assinalada em 2015 (-0,86%), segundo dados divulgados pela Direção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC).


Os decréscimos mais significativos foram registados nas secções de alojamento (-21,20%) e transportes e comunicações (-9,82%).


Essas quedas foram atenuadas pela subida nos índices de preços da restauração (2,27%), bens diversos (2,20%), produtos alimentares, bebidas alcoólicas e tabaco (1,91%).


Só no quarto e último trimestre de 2016, o IPT diminuiu 4,48% em termos anuais homólogos devido principalmente à redução de preços do alojamento em hotéis e dos bilhetes de avião.


Contudo, em termos trimestrais, ou seja, face ao período compreendido entre julho e setembro, cresceu 6,39%.


Tal deveu-se nomeadamente à subida do índice de preços da secção de alojamento — cresceu 24,41% graças ao aumento dos preços dos quartos de hotéis verificado nomeadamente nos feriados da implantação da República Popular da China (a 01 de outubro); no período do Grande Prémio (em meados de novembro) e nos feriados do Natal, indica a DSEC.


A economia de Macau, uma Região Administrativa Especial da China, assenta nos serviços, com o setor do turismo, especialmente o jogo em casino a constituir a principal fonte de receita pública.



DM // ATR


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Turismo em Macau ficou mais barato pelo segundo ano consecutivo em 2016

O turismo em Macau ficou mais barato em 2016, com o índice que reflete a variação de preços dos bens e serviços adquiridos pelos visitantes a recuar pelo segundo ano consecutivo.