Impala

Ministros das Pescas da UE reúnem-se 2.ª e 3.ª feira para decidir limites das capturas

Os ministros das Pescas da União Europeia reúnem-se na segunda e terça-feira para decidir os totais admissíveis de capturas e respetivas quotas nacionais para 2017, negociações que tradicionalmente se arrastam pela madrugada.

Bruxelas, 11 dez (Lusa) — Os ministros das Pescas da União Europeia (UE) reúnem-se na segunda e terça-feira para decidir os totais admissíveis de capturas (TAC) e respetivas quotas nacionais para 2017, negociações que tradicionalmente se arrastam pela madrugada.


As conversações sobre os TAC iniciam-se na segunda-feira, paralelamente ao debate de temas de agricultura, com as pescas a dominar a agenda de terça-feira e os Estados-membros a tudo fazerem para aumentar os limites para as suas pescarias.


No caso de Portugal, são particularmente contestados os cortes propostos no final de outubro para a pescada (-35,9%) e para os areeiros (-25,7%) por serem espécies de grande valor comercial.


Mais recentemente, a Comissão Europeia aumentou em 5% os TAC de pescada, para compensar os pescadores pela obrigação de desembarcarem todo o peixe capturado.


No caso do biqueirão, Bruxelas propõe uma manutenção da quota, apelando Lisboa a um aumento sustentado pela abundância desta espécie em águas nacionais.


No caso das raias, Portugal defende uma subida superior aos 5% propostos, argumentado que os pareceres científicos sustentam até mais 15% de capturas.


As propostas serão decididas no Conselho de Ministros das Pescas, negociações tradicionalmente duras e longas, e entram em vigor a partir de 01 de janeiro de 2017.



IG// ATR


Lusa/fim


RELACIONADOS

Ministros das Pescas da UE reúnem-se 2.ª e 3.ª feira para decidir limites das capturas

Os ministros das Pescas da União Europeia reúnem-se na segunda e terça-feira para decidir os totais admissíveis de capturas e respetivas quotas nacionais para 2017, negociações que tradicionalmente se arrastam pela madrugada.