Impala

Instituto de Estatística simboliza evolução de Cabo Verde — vice-presidente

O Instituto Nacional de Estatística (INE) simboliza a evolução de Cabo Verde, defendeu à agência Lusa o vice-presidente do organismo, Celso Soares, considerando que o INE é uma “instituição de referência a nível nacional e internacional”.

Praia, 23 dez (Lusa) – O Instituto Nacional de Estatística (INE) simboliza a evolução de Cabo Verde, defendeu hoje à agência Lusa o vice-presidente do organismo, Celso Soares, considerando que o INE é uma “instituição de referência a nível nacional e internacional”.


Celso Soares falava à Lusa, na cidade da Praia, no âmbito de uma jornada de reflexão interna para comemorar os 20 anos do instituto e traçar desafios e perspetivas futuras.


“O INE simboliza exatamente a evolução que o país teve durante esse tempo, por isso que o nosso lema é ’20 anos a apoiar decisões'”, sustentou o vice-presidente, recordando que o INE evoluiu desde a antiga Direção Geral de Estatística até à sua criação, em 1996.


“Hoje, mais do que nunca, o INE demonstra com as várias atividades e os vários produtos essa evolução ao longo do tempo”, prosseguiu.


Entre os ganhos ao longo dos 20 anos, Celso Soares destacou o facto de, à semelhança do que é estabelecido a nível internacional, o INE cabo-verdiano ser “dos poucos” institutos de estatística que vem realizando regularmente, de 10 em 10 anos, recenseamento da população.


“Também realizamos, com alguma regularidade, o inquérito das receitas e despesas familiares, o inquérito demográfico de saúde reprodutiva e produzimos mensalmente o índice de preço no consumidor”, indicou o vice-presidente à Lusa.


O responsável apontou ainda que o INE tem um historial de dados de contas nacionais e um conjunto de dados que o transforma numa “instituição de referência a nível nacional e internacional”.


“Estamos num nível muito bom, uma vez que conseguimos, com regularidade, responder a todas as exigências, não só dos parceiros nacionais, mas também dos parceiros internacionais, produzindo dados estatísticos atempados e sobretudo com rigor e independência”, salientou.


Celso Soares indicou que um dos grandes desafios que o INE tem nos próximos tempos será iniciar, já no primeiro trimestre, o inquérito demográfico e de saúde reprodutiva e a implementação do gabinete de censo para mobilização de recursos.


Também indicou que o INE, que conta com 76 funcionários, vai começar a trabalhar já os aspetos metodológicos e de recolha para o censo 2020.


Salientando que o INE é um organismo independente a nível financeiro e técnico, o vice-presidente afirmou, ainda assim, que tem tido um “excelente relacionamento” com o Governo e com todos os outros parceiros.


Um dos aspetos bastante criticado pelo Movimento para a Democracia (MpD), enquanto esteve na oposição cabo-verdiana, foi o facto de o INE ter funcionado durante muito tempo sem todos os membros do conselho de administração e sem os conselhos fiscal e nacional.


Mas Celso Soares garantiu que esse problema foi ultrapassado e o INE está desde julho a funcionar com todos os seus membros, o que lhe permitirá aprovar os principais instrumentos de gestão, com “ganhos significativos” par ao instituto.


A jornada de reflexão serviu ainda para tomada de posse de novos diretores nacionais e homenagem a funcionários reformados do INE.



RYPE // VM


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Instituto de Estatística simboliza evolução de Cabo Verde — vice-presidente

O Instituto Nacional de Estatística (INE) simboliza a evolução de Cabo Verde, defendeu à agência Lusa o vice-presidente do organismo, Celso Soares, considerando que o INE é uma “instituição de referência a nível nacional e internacional”.