Impala

Bolsas europeias em baixa à espera de dados macroeconómicos

As principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, com os investidores à espera da divulgação de vários dados macroeconómicos.

Lisboa, 12 jan (Lusa) — As principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, com os investidores à espera da divulgação de vários dados macroeconómicos.


Cerca das 09:15 em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava em baixa, a descer 0,56% para 3.289,34 pontos.


As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a descer 0,29%, 0,52% e 0,65%, bem como as de Madrid e Milão, que estavam a recuar 0,42% e 0,54%.


Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência, e, cerca das 09:15, o principal índice, o PSI20, estava a desvalorizar-se 0,79% para 4.554,45 pontos.


Os investidores vão estar hoje atentos à publicação de diferentes informações económicas, como as atas da última reunião sobre política monetária do Banco Central Europeu (BCE) ou os dados da produção industrial na Europa em novembro do ano passado.


Além destes dados, a Alemanha publicará hoje a evolução provisória do Produto Interno Bruto (PIB) e do défice público em 2016, enquanto em Itália serão conhecidos os dados da produção industrial de novembro.


Em França já foi divulgada a subida dos preços em dezembro, de 0,3% face a novembro e de 0,6% em relação ao mesmo mês de 2015, sustentada pela subida dos preços do petróleo e dos serviços.


O setor bancário vai estar pendente da decisão do Tribunal de Estrasburgo sobre um pedido do banco suíço UBS contra a fiança de 1.100 milhões de euros que lhe foi imposta pela Justiça francesa por fraude e branqueamento.


Nos Estados Unidos, Wall Street deverá abrir hoje com os olhos postos na conferência de imprensa quinzenal do Fundo Monetário Internacional (FMI).


Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta na quarta-feira, com o Dow Jones a subir 0,50% para 19.954,28 pontos, depois de ter avançado em 20 de dezembro até aos 19.974,62 pontos, o nível máximo desde que foi criado.


A nível cambial, o euro abriu em forte alta no mercado de divisas de Frankfurt, a subir para 1,0631 dólares, contra 1,0464 na quarta-feira, depois de em 15 de dezembro a Reserva Federal dos Estados Unidos ter subido as taxas de juro.


A subida das taxas de juro aprovada no passado dia 15 pela Fed, um mês depois de Donald Trump ter vencido as eleições presidenciais, já tinha sido antecipada pelos mercados.


Mas, na altura, a Fed surpreendeu os mercados quando indicou que haverá três subidas das taxas de juro em 2017, mais uma do que inicialmente previsto.


O barril de petróleo Brent, para entrega em março, abriu hoje em alta, a cotar-se a 55,29 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,38% do que no encerramento da sessão anterior.


O preço do petróleo começou a subir desde 12 dezembro depois de 11 produtores – que não são membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) – terem acordado unir-se ao corte da produção, concretizado depois de intensas negociações.


Em 30 de novembro último, os membros da OPEP tinham decidido reduzir a produção de ouro negro para impulsionar os preços para a alta, pelo que anunciaram uma produção máxima de 32,5 milhões de barris por dia.



MC // CSJ


Lusa/Fim


RELACIONADOS