Ações da Petrobras caem mais de 10% devido à redução no preço do gasóleo

Ações da Petrobras caem mais de 10% devido à redução no preço do gasóleo

As ações da petrolífera caíram na Bolsa de Valores de São Paulo, após a decisão de reduzir em 10 % o preço do gasóleo por 15 dias em resposta à greve dos camionistas no país.

São Paulo, 24 mai (Lusa) — As ações da petrolífera Petrobras caíram hoje mais de 10% na Bolsa de Valores de São Paulo, após a decisão da estatal brasileira reduzir em 10% o preço do diesel por 15 dias em resposta à greve dos camionistas no país.


Por volta da 10:53 (14:53 em Lisboa), as ações preferenciais da Petrobras perdiam 11,26% e os títulos ordinários 10,61%, enquanto o índice de referência Bovespa caía 1,29%.


Na abertura da Bolsa, os dois títulos do grupo haviam sido muito penalizados, caindo mais de 13%.


Na véspera, a Bolsa de Valores de São Paulo fechou em queda de 2,26%, a 80.867 pontos, acumulando uma perda de 6% no mês.


Os preços do diesel no Brasil aumentaram muito recentemente devido aos preços mais altos do petróleo e à nova política de preços da Petrobras.


A empresa estatal vê a sua nova política de preços como um elemento-chave na sua estratégia de reconstruir as suas finanças e a sua imagem, após ter estado envolvida no maior escândalo de corrupção do Brasil.


Os sucessivos aumentos do diesel, desde o ano passado, são o motivo do protesto organizado pelos camionistas brasileiros, que hoje entra no seu quarto dia.


O Governo brasileiro negoceia, desde o início da semana, medidas e alternativas para reduzir o preço do diesel.


A greve dos camionistas no Brasil, que hoje tem manifestações e bloqueios em estradas de 23 estados e Distrito Federal, está a afetar o transporte e a distribuição de alimentos e combustíveis no país.



CSR // VM

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Ações da Petrobras caem mais de 10% devido à redução no preço do gasóleo

As ações da petrolífera caíram na Bolsa de Valores de São Paulo, após a decisão de reduzir em 10 % o preço do gasóleo por 15 dias em resposta à greve dos camionistas no país.