Impala

Crise e apagões deixam iluminação de Natal a meio gás em Luanda

A crise financeira e as dificuldades no fornecimento de eletricidade da rede pública que se vivem em Angola deixaram as ruas de Luanda menos iluminadas neste Natal, com as autoridades locais a redefinirem as prioridades.

Luanda, 19 dez (Lusa) – A crise financeira e as dificuldades no fornecimento de eletricidade da rede pública que se vivem em Angola deixaram as ruas de Luanda menos iluminadas neste Natal, com as autoridades locais a redefinirem as prioridades.


A redução na iluminação e ornamentações de Natal que se constata nas ruas do centro da capital deve-se às atuais restrições financeiras que o país vive, segundo informou à agência Lusa o diretor para as infraestruturas e serviços técnicos do Governo da Província de Luanda, Osvaldo Amaral.


“A rua principal do Aeroporto Internacional de Luanda já se vê algumas melhorias, com iluminações de Natal e o resto, vamos definir opções em função do atual quadro financeiro que o país vive”, explicou.


A prioridade, disse, passou por “embelezar aquelas ruas tradicionais” de Luanda.


“Mas com algumas restrições e já não será com tanta luz como nos anos anteriores, isso faz parte do nosso programa”, acrescentou.


Apesar de garantir a iluminação reduzida com os habituas adereços de natal, Osvaldo Amaral receia por apagões neste período em consequência das restrições no fornecimento de energia elétrica que a capital angolana tem vivido, com os constantes apagões, provocados pelo aumento do consumo e pela conclusão das obras na barragem de Cambambe (Cuanza Norte).


“A capacidade de fornecimento da ENDE [Empresa Nacional de Distribuição de Eletricidade] neste momento é muito reduzida e condicionada. A iluminação pública de Luanda vive este drama”, contou.


A montagem do já tradicional presépio de Natal no Largo 1.º de Maio, no centro da cidade, é outro dos pontos altos das ornamentações públicas da quadra em Luanda, entretanto já concluída.


“Sem garantias, mas os esforços financeiros estão ser desenvolvidos para que as coisas sejam feitas tal como a gente anseia. Estamos a fazer todo um esforço para tornar Luanda mais limpa e mais agradável, mas as condições do país às vezes não permitem”, assinalou Osvaldo Amaral.



DYAS // VM


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Crise e apagões deixam iluminação de Natal a meio gás em Luanda

A crise financeira e as dificuldades no fornecimento de eletricidade da rede pública que se vivem em Angola deixaram as ruas de Luanda menos iluminadas neste Natal, com as autoridades locais a redefinirem as prioridades.