Bacalhau, o protagonista da noite de Natal… E não só.

Aprenda a preparar o melhor bacalhau para servir no Natal. Não precisa de ser o mais caro da loja. Basta ser da Noruega. O truque está em saber comprar, demolhar e confecionar.

Bacalhau, o protagonista da noite de Natal... E não só.

Bacalhau, o protagonista da noite de Natal… E não só.

Aprenda a preparar o melhor bacalhau para servir no Natal. Não precisa de ser o mais caro da loja. Basta ser da Noruega. O truque está em saber comprar, demolhar e confecionar.

Somos os principais consumidores de bacalhau no Mundo: comemos cerca de 20% de todo o que é pescado. E, na noite de Natal, não há mesa em que o bacalhau não seja protagonista. Estima-se que 29% do total do consumo de bacalhau em Portugal ocorra na época natalícia e que, na noite da Consoada, sejam comidas entre 4 e 5 mil toneladas de bacalhau.

Portugueses são quem melhor trata o protagonista da noite de Natal… E não só.

Quanto à sua origem, 70% de todo o bacalhau consumido em Portugal é da Noruega. E por que razão? Porque o melhor bacalhau do mundo é o da Noruega. E não há quem o saiba tratar melhor do que os portugueses. Por isso, aprenda a preparar o melhor bacalhau para a sua mesa de Natal, tal como manda a tradição.

Não compre ‘gato por lebre’: o verdadeiro bacalhau é da espécie Gadus Morhua e vem do Mar da Noruega

O truque é saber escolher, demolhar e cozer. Também pode comprar o Bacalhau da Noruega já demolhado e congelado, se assim o preferir.

Escolher e comprar

Para ser um excelente bacalhau não precisa de ser o mais caro da loja, mas convém conhecer a sua origem. Escolha um bacalhau bem seco, com boa altura junto à espinha central, de cor palha e preparado a partir de peixe fresco.

O verdadeiro bacalhau é da espécie Gadus Morhua e vem do Mar da Noruega. As imitações até podem não ser más, mas não são a mesma coisa…

Peça para o cortarem às postas ou em lombos, e prepare-se para o demolhar!

Demolhar

A duração do processo de demolha depende da espessura do peixe e da sua cura, demorando habitualmente cerca de 48 horas. Para obter o resultado perfeito, siga estas instruções simples:

• Comece por retirar o excesso de sal das postas em água corrente;

• Coloque o peixe num recipiente grande com três vezes mais água do que peixe, mantendo-o num ambiente fresco, a cerca de 6-8°C, durante todo o processo (pode fazer a demolha no frigorífico);

• As postas deverão ser colocadas com a pele virada para cima;

• Troque a água do recipiente a cada oito horas. O peixe deverá estar pronto a ser cozinhado após 48 horas. Pode retirar as postas mais finas da demolha mais cedo;

• Caso queira congelar o peixe depois de demolhado, escorra as postas e seque-as bem (com papel absorvente ou um pano) antes de as congelar.

Cozer

Coloque água a ferver numa panela, com altura suficiente para cobrir o bacalhau. Assegure-se de que a posta não está congelada. Quando a água estiver a ferver, coloque o bacalhau, tape a panela, desligue o fogão e aguarde 10 a 15 minutos, dependendo da altura da posta.

Sim, leu bem. Tem de desligar o fogão quando colocar o bacalhau na água a ferver! Não “estrague” o bacalhau cozendo-o desnecessariamente! Este processo irá garantir um bacalhau com lasca perfeita, suculento e saboroso.

Escorra o bacalhau e leve-o à mesa de Natal. Acompanhe com um sorriso.

Aproveite todas as partes

O bacalhau não é um alimento caro. É versátil e económico, visto que podem aproveitar-se as várias partes do produto para 1001 receitas diferentes! Para além disso, é o único produto que “cresce”, pois aumenta 35% depois da demolha: se comprar 1 kg, fica com 1,350 kg depois de o demolhar!

70% do bacalhau consumido em Portugal é da Noruega. E é no Natal que o consumo de bacalhau dispara.

Pode, por exemplo, aproveitar a parte do rabo para fazer pataniscas ou Bacalhau à Brás. O lombo, prepare-o à lagareiro ou assado no forno. E a água de cozer, aproveite-a para fazer uma bela açorda de bacalhau.

As nossas receitas de Bacalhau da Noruega

O nosso fiel amigo da Noruega é tão versátil que, com apenas uma posta, parece que conseguimos igualar os mais conceituados chefs do Mundo! Ora, veja como confecionar pratos muito simples, mas… absolutamente irresistíveis!

Não perca as receitas que a seguir partilhamos consigo:

Bacalhau da Noruega Escalfado sobre migas de grão e legumes de Outono

Açorda de Bacalhau da Noruega com coentros

Bacalhau da Noruega assado com puré de abóbora e beterraba

Bacalhau da Noruega com todos

As razões para o sucesso do bacalhau da Noruega: a origem importa!

O Bacalhau da Noruega foi, durante 7 anos consecutivos, a ‘Escolha do Consumidor’ em Portugal na categoria de Bacalhau Salgado Seco. Os principais atributos identificados foram o aspeto e a aparência, a boa relação qualidade-preço, o estado de conservação, a notoriedade da marca, o país de origem, a qualidade do produto, o tamanho, a altura e a espessura e, por fim, a sustentabilidade do produto.

Os produtos do mar da Noruega crescem lentamente nas águas geladas, desenvolvendo o sabor e a textura perfeitos. E o verdadeiro Bacalhau da Noruega tem o seu segredo na origem, sendo preparado a partir de peixe da espécie Gadus Morhua cuidadosamente seco e salgado.

Bem seco e curado, com cor palha, depois de capturado é preparado de modo tradicional, seguindo os mais elevados padrões de qualidade. A Noruega tem as maiores reservas de bacalhau do Mundo, geridas de forma absolutamente sustentável para garantir a preservação deste tesouro para as gerações futuras.

Os cardumes de bacalhau migram, percorrendo longas distâncias em águas límpidas e frias, desde o Mar de Barents até à costa norueguesa, um comportamento que contribui para o excelente sabor e a textura perfeita do Bacalhau da Noruega.

A forma como lasca é única e a singularidade do seu sabor também se deve a uma alimentação composta por camarão, arenque, capelim e caranguejo.

O Bacalhau da Noruega foi , durante 7 anos consecutivos, a ‘Escolha do Consumidor’ em Portugal.

Por ser bem seco e curado de acordo com os métodos tradicionais (até aos 47% de humidade máxima), o Bacalhau da Noruega ganha volume depois de demolhado. É durante este processo que retoma o nível de água que perdeu durante a secagem, crescendo e ganhando cerca de 35% de peso.

O Bacalhau da Noruega pesa entre 3 a 40 Kg, é mais largo e tem postas mais altas, apresenta uma coloração palha e uniforme quando salgado e seco, formando lascas bem definidas depois de cozinhado.

Com a ajuda do precioso azeite português, é só escolher entre as 1001 receitas que existem para o preparar!

Se o consumidor quer ter a certeza de que não está a “comer gato por lebre”, quando comprar bacalhau (seja seco, salgado ou congelado) deve assegurar-se de que é a espécie Gadus Morhua, o verdadeiro Bacalhau da Noruega. É caso para dizer que “A origem importa”!

A qualidade do produto consumido em Portugal

O NSC (Norwegian Seafood Council – Conselho Norueguês dos Produtos do Mar, em português) assegura que o bacalhau com origem na Noruega, que representa 70% do consumo nacional, está isento de aditivos, não tem fosfatos e mantém as normas de produção tradicional por que sempre se pautou.

A Noruega tem as maiores reservas de bacalhau do mundo, geridas de forma absolutamente sustentável.

O interesse da Noruega no bacalhau é extremamente claro. Não há nenhuma outra nação ligada à indústria do bacalhau que seja tão dependente dos consumidores portugueses. Por isso o controlo e os padrões de produção são os mais rigorosos do mundo.

Quanto se consome em Portugal

O mercado português é o que mais consome bacalhau salgado no mundo, um consumo correspondente a 20% de todo o bacalhau capturado a nível mundial.

Este nível de consumo tem-se mantido razoavelmente estável ao longo dos anos, o que se deve à importância que este produto tem na cultura gastronómica nacional, mas também por razões de racionalidade ao nível da economia doméstica: quando comparado com outro pescado, nomeadamente o que é adquirido fresco, o rendimento do bacalhau é muito superior, uma vez que o aproveitamento do que se compra é praticamente total.

Segundo o estudo TGI, da Kantar Media, em 2017, 3,5 milhões de lares portugueses compraram bacalhau pelo menos uma vez, o que representa 87,3% do universo de agregados familiares. A maioria consome bacalhau mais de uma vez por mês, sendo o bacalhau seco a variedade preferida de 62% dos portugueses.

A maior diferença no consumo de bacalhau regista-se ao nível de idade, com os compradores mais jovens a registarem um consumo abaixo da média. Portugal consome cerca de 70.000 toneladas de bacalhau seco salgado por ano.

Este produto chega ao país de diversas formas: 1.500 toneladas de bacalhau fresco chegam a Portugal para serem tratadas pela indústria local; 26.000 toneladas são importadas em salga húmida (bacalhau verde); 9.000, oriundas da Islândia, e 30.000 toneladas, provenientes da Noruega, chegam em produto finalizado, já salgado e seco.

O fiel amigo português

Todos os dias do ano são uma excelente ocasião para preparar, ou comer, um bom prato de Bacalhau da Noruega. É versátil, económico e nele tudo se aproveita para 1001 receitas diferentes!

Não há família portuguesa que não tenha a “sua” receita favorita e não há chef português que não saiba preparar um bom prato de Bacalhau da Noruega. Nestes tempos diferentes que enfrentamos, é importante não prescindirmos do que nos faz sentir bem e faz parte das nossas memórias e da nossa cultura.

O melhor bacalhau do Mundo vem da Noruega, mas é um património cultural e gastronómico português. Peçam a um estrangeiro que refira três palavras que lhe lembrem Portugal e constatarão que “Bacalhau” é uma delas!

Peçam a um português que associe três palavras a Natal e aposto que “Bacalhau” está no Top 3! Nós, noruegueses, pescamos e produzimos o peixe, mas são os portugueses quem o prepara exemplarmente, transformando-o num tesouro de sabor e em memórias de momentos passados à mesa, com a família e os amigos, ou recordações de uma viagem a Portugal.

Fácil de encontrar em todas as lojas de Portugal, o verdadeiro Bacalhau da Noruega tem o seu segredo na origem, sendo preparado a partir de peixe cuidadosamente seco e salgado. A Noruega tem as maiores reservas de bacalhau do Mundo, geridas de forma absolutamente sustentável para garantir a preservação deste tesouro para as gerações futuras.

Os cardumes de bacalhau percorrem longas distâncias em águas límpidas e frias, desde o Mar de Barents até à costa norueguesa, o que contribui para o excelente sabor e a textura perfeita do Bacalhau da Noruega e para a forma única como lasca.

Quando comprar bacalhau, assegure-se que é da espécie Gadus Morhua, o verdadeiro Bacalhau da Noruega, para ter a certeza de que terá uma lasca perfeita e o sabor que lhe lembra todos aqueles bons momentos partilhados com os amigos e a família.

Afinal, há muitas gerações que lhe chamam o “Fiel Amigo”!

Johnny Thomassen Director do NSC – Norwegian Seafood Council em Portugal

Impala Instagram


RELACIONADOS