Impala

Zorrinho defende fecho da central de Almaraz por falta de garantias de funcionamento

O eurodeputado Carlos Zorrinho defendeu o encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz, por considerar que não há garantias suficientes de que esteja a funcionar com normalidade.

Castelo Branco, 15 dez (Lusa) – O eurodeputado Carlos Zorrinho defendeu hoje o encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz, por considerar que não há garantias suficientes de que esteja a funcionar com normalidade.


Numa nota enviada à agência Lusa, o eurodeputado português sustenta que, com base no conhecimento que tem do dossiê Almaraz, “a solução ideal é o encerramento da central”.


“Enquanto essa decisão não é tomada, nenhum investimento deverá ser iniciado, para prolongar a vida da central, sem que se faça um estudo detalhado das condições de segurança e dos impactos ambientais, dos dois lados da fronteira, e sem que entre em vigor a nova diretiva que regula o sector, e que Espanha tem que transpor até agosto do próximo ano”, afirma.


O assunto Almaraz mereceu já um pedido de reunião por parte do Governo português às autoridades espanholas, que se disponibilizaram para o encontro.


Para Carlos Zorrinho existe “grande expetativa no encontro de trabalho oportunamente solicitado pelo Governo de Portugal ao Governo de Espanha”.


A funcionar desde o início da década de 1980, a central está situada junto ao Tejo e faz fronteira com os distritos portugueses de Castelo Branco e Portalegre, sendo Vila Velha de Ródão a primeira povoação portuguesa banhada pelo Tejo depois de o rio entrar em Portugal.



CAYC // ARA


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Zorrinho defende fecho da central de Almaraz por falta de garantias de funcionamento

O eurodeputado Carlos Zorrinho defendeu o encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz, por considerar que não há garantias suficientes de que esteja a funcionar com normalidade.