Impala

Prio e EDP oferecem temporariamente carregamento das viaturas elétricas

A Prio vai oferecer carregamentos de viaturas elétricas durante quatro meses, enquanto a EDP anunciou que apenas em 2018 irá cobrar o uso dos seus novos postos de carregamento rápido (PCR).

Lisboa, 05 jan (Lusa) — A Prio vai oferecer carregamentos de viaturas elétricas durante quatro meses, enquanto a EDP anunciou que apenas em 2018 irá cobrar o uso dos seus novos postos de carregamento rápido (PCR).


Durante 2017 não será cobrado o carregamento nos cinco postos da EDP Comercial, instalados na sequência de um concurso público, e a “partir de 2018, carregar por exemplo 80% da bateria de um Nissan Leaf custará entre 3,5 e 4,8 euros, dependendo do posto de carregamento”, afirmou à agência Lusa fonte oficial da empresa.


No concurso promovido pela MOBI.E para a colocação de 14 PCR, a EDP ganhou a instalação de cinco postos, dos quais três (Évora, Aveiro e Viana do Castelo) estarão operacionais no final da próxima semana, enquanto os equipamentos de Valença e Vila Real devem começar a funcionar até ao final de janeiro.


Já a Prio, que venceu um lote, informou ter “tudo preparado para arrancar” em Coimbra, na avenida da Lousã, segundo o gestor de Desenvolvimento de Negócio da empresa, Carlos Ferraz.


O responsável revelou à Lusa que serão oferecidos os quatro primeiros meses de carregamento para utentes do cartão frota elétrica da empresa.


O sistema da empresa está preparado para cobrar por tempo ou por quilowatt, com o operador a indicar que “em princípio será por quilowatt”. “Mas é uma situação que não está totalmente fechada dentro da Prio”, acrescentou.


Quanto ao início de funcionamento do posto, Carlos Ferraz acredita que acontecerá “antes do final do mês”.


Na terça-feira, o Ministério do Ambiente informou que nas “próximas semanas” serão instalados os 14 PCR e que continuam os trabalhos nas autoestradas A1, A6, A8, A22 e A23.


Ao jornal Público, o ministro da tutela, João Matos Fernandes, tinha indicado 08 de janeiro como data limite para a instalação dos 14 carregadores e a “probabilidade elevadíssima de até essa data se instalarem mais oito carregadores nas áreas de serviço das autoestradas”.


Em resposta à Lusa, o gabinete do ministro referiu que “ao longo das próximas semanas” serão instalados PCR do projeto-piloto previstos para Aveiro, Évora, Lisboa, Cascais, Loures, Gaia, Porto, Matosinhos, Valença, Viana do Castelo, Vila Real e Coimbra.


“Paralelamente, continua a ser feita a instalação dos postos de carregamento rápido previstos para as áreas de serviço das autoestradas, pelo que nas próximas semanas serão também instalados postos na A1 (Autoestrada do Norte), A6 (Autoestrada do Alentejo Central), A8 (Autoestrada do Oeste), A22 (Via do Infante) e A23 (Autoestrada da Beira Interior)”, acrescentou.


Depois do concurso público de atribuição da instalação a operadores da mobilidade elétrica, a Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos informou que o primeiro PCR a funcionar é o de Vila Nova de Gaia.


Os PCR permitem o carregamento de 80% da bateria, em aproximadamente 20-30 minutos.


Quanto a preços, o ministério referiu que os valores serão acordados diretamente com os comercializadores de eletricidade para a mobilidade elétrica e “apenas serão cobrados aquando do início da fase de mercado, a ocorrer no primeiro semestre deste ano”.


PL// ATR


Lusa/fim


RELACIONADOS

Prio e EDP oferecem temporariamente carregamento das viaturas elétricas

A Prio vai oferecer carregamentos de viaturas elétricas durante quatro meses, enquanto a EDP anunciou que apenas em 2018 irá cobrar o uso dos seus novos postos de carregamento rápido (PCR).