Impala

PEV escolhe Almaraz como um dos temas das jornadas parlamentares

O partido ecologista “Os Verdes” (PEV) realiza entre hoje e terça-feira jornadas parlamentares nos distritos de Castelo Branco e Portalegre dedicadas, entre outros temas, aos riscos decorrentes da central nuclear de Almaraz.

Lisboa, 30 jan (Lusa) – O partido ecologista “Os Verdes” (PEV) realiza entre hoje e terça-feira jornadas parlamentares nos distritos de Castelo Branco e Portalegre dedicadas, entre outros temas, aos riscos decorrentes da central nuclear de Almaraz.


“Ouvir e debater os riscos que a central nuclear de Almaraz representa para Portugal, nomeadamente para as populações e para os territórios localizados na raia e na zona ribeirinha do Tejo, e a forma como estamos preparados para enfrentar esta ameaça”, é o principal objetivo do PEV para estas jornadas.


O tema da central de Almaraz será discutido na terça-feira, em Portalegre, numa audição pública.


O PEV é representado no parlamento por Heloísa Apolónia e José Luís Ferreira e concorreu nas últimas legislativas, como é habitual, coligado com o Partido Comunista Português (PCP).


Hoje, os parlamentares do PEV terão reuniões com a administração da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, com os bombeiros voluntários e efetuarão uma visita às instalações do Comando Distrital de Operações de Socorro.


Uma viagem de barco entre Vila Velha de Ródão e barragem do Fratel, e uma conversa com pescadores do Tejo encerram o primeiro dia das jornadas.


Na terça, reúnem-se com a direção do agrupamento de Escolas de Nisa, visitam o centro de formação da GNR de Portalegre e, às 14:00, realiza-se a audição pública sobre a Central Nuclear de Almaraz.


Na semana passada, Portugal enviou uma nova carta a Espanha a insistir que o país deve ser ouvido se o executivo espanhol decidir prolongar a vida da central nuclear de Almaraz.


O processo para a construção do Armazém Temporário Individualizado da Central Nuclear Almaraz teve início em 18 de novembro de 2015, quando foi solicitada a autorização para a construção do armazém de resíduos nucleares, com o objetivo de resolver as necessidades de armazenamento do combustível gasto nos reatores.


A funcionar desde o início da década de 1980, a central está situada junto ao Tejo e faz fronteira com os distritos portugueses de Castelo Branco e Portalegre, sendo Vila Velha de Ródão a primeira povoação portuguesa banhada pelo Tejo depois de o rio entrar em Portugal.


A decisão de Espanha deu origem a protestos, tanto da parte das associações ambientalistas, portuguesas e espanholas, como dos partidos políticos na Assembleia da República.



ZO (EA) // CSJ

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

PEV escolhe Almaraz como um dos temas das jornadas parlamentares

O partido ecologista “Os Verdes” (PEV) realiza entre hoje e terça-feira jornadas parlamentares nos distritos de Castelo Branco e Portalegre dedicadas, entre outros temas, aos riscos decorrentes da central nuclear de Almaraz.