Impala

Pai de Manuel Serrão morreu após atropelamento e 2 anos de sofrimento

O polémico adepto e comentador da TVI Manuel Serrão perdeu o pai na madrugada deste domingo. Daniel Serrão morreu aos 88 anos.

Manuel Serrão está inconsolável. O pai morreu depois de dois anos de sofrimento. Daniel Serrão tinha 88 anos e sofria de problemas respiratórios graves, que surgiram após um atropelamento.

“Desaparece, além de uma personalidade de assinalável dimensão cultural, um professor e investigador notável” (Marcelo Rebelo de Sousa)

Daniel Serrão era um respeitado médico que trabalhava na área da anatomia patológica e da bioética. Foi contra a reprodução medicamente assistida a não ser para casais heterossexuais e, na página da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa homenageou-o. “Com o falecimento de Daniel Serrão, desaparece, além de uma personalidade de assinalável dimensão cultural, um professor e investigador notável, que tanto contribuiu para a renovação da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e, depois, para a afirmação da Universidade Católica Portuguesa.”

Daniel Serrão morreu aos 88 anos, vítima de problemas respiratórios na sequência ainda de um acidente que sofreu há dois anos
Daniel Serrão morreu aos 88 anos, vítima de problemas respiratórios na sequência ainda de um acidente que sofreu há dois anos

O funeral decorre esta segunda-feira, 9 de janeiro, mas, de acordo com o desejo que terá manifestado às portas da morte, a cerimónia será privada. Ontem, no site do antigo médico, podia ler-se uma citação do seu livro Viver, Envelhecer e Morrer com Dignidade bem a propósito deste momento:

“Com a morte de cada homem termina um universo cultural especifico, mais ou menos rico mas sempre original e irrepetível” (Daniel Serrão)

Daniel Serrão nasceu na freguesia de S. Diniz, em Vila Real de Trás-os-Montes, a1 de Março de 1928. Em 1944, completou o Curso Geral dos Liceus, em Aveiro, com 18 valores. Antes, frequentou os Liceus de Viana do Castelo e Coimbra. Em Aveiro, terminou, em 1945, o Curso Complementar de Ciências, com 18 valores. Em 1951, completou o Curso de Medicina, com média final de 17 valores. Cumpriu o serviço militar obrigatório, de 1951 a 1953, prestando serviço no Hospital Regional do Porto.

Avô de 9 netos, foi pai de 6 filhos, mas um morreu em 1993

Casou em 1958 com Maria do Rosário de Castro Quaresma Valladares Souto de quem teve seis filhos (um deles falecido em 1993) e destes tem, actualmente, nove netos.

Doutorou-se em 1959, com 19 valores. Concorreu em 1961 a Professor extraordinário de Anatomia Patológica e foi aprovado por unanimidade. De Outubro de 1967 a Novembro de 1969, esteve mobilizado, em Luanda, prestando serviço no Hospital Militar como anátomo-patologista. Concorreu a Professor Catedrático em 1971, sendo aprovado por unanimidade, assumindo a direcção do Serviço Académico e Hospitalar de Anatomia Patológica.

Foi saneado e esteve demitido de todas as funções, mas o Conselho da Revolução viria a restituir-lhe a carreira

De 24 de Junho de 1975 até 30 de Junho de 1976 esteve demitido de todas as suas funções em consequência de um saneamento, que foi anulado por decisão do Conselho da Revolução, tendo-lhe sido pagos os vencimentos dos 12 meses durante os quais foi impedido de exercer funções académicas e hospitalares.

Daniel Serrão foi jubilado em 1998

Montou e dirigiu um Laboratório privado de Anatomia Patológica que, de Julho de 1975 até Dezembro de 2002, realizou um milhão e seiscentos mil exames histológicos e citológicos para hospitais públicos e para clientes privados. Foi jubilado em 1 de Março de 1998.

 


RELACIONADOS