Impala

Nova lei da China para taxar poluição não inclui emissão de CO2

A China aprovou uma lei para taxar a poluição que ignora o dióxido de carbono, um dos maiores contribuidores para o aquecimento global, segundo informação difundida através do ‘site’ do órgão legislativo máximo do país.

Pequim, 26 dez (Lusa) – A China aprovou uma lei para taxar a poluição que ignora o dióxido de carbono, um dos maiores contribuidores para o aquecimento global, segundo informação difundida através do ‘site’ do órgão legislativo máximo do país.


A Assembleia Nacional Popular aprovou a lei, a primeira que inclui impostos ambientais, no domingo, poucos dias após mais de 20 cidades do norte da China terem decretado um alerta máximo por poluição.


Segundo a normativa, que entra em vigor em 1 de janeiro de 2018, as empresas serão taxadas por produzirem poluição atmosférica, sonora e da água, refere o documento.


Mas o dióxido de carbono não faz parte da lista, que inclui poluentes como o dióxido de enxofre e sulfito, taxados por valores entre 1,2 yuan (0,16 cêntimos de euro) e 1,4 yuan (0,19 cêntimos) por unidade, respetivamente.


A lei prevê ainda um imposto mensal entre 350 e 11.200 yuan (48 e 1.543 euros) por poluição sonora.


Segunda maior economia mundial e país mais populoso do planeta, a China é também o maior emissor de gases com efeito de estufa.



JOYP // PJA


Lusa/fim


RELACIONADOS

Nova lei da China para taxar poluição não inclui emissão de CO2

A China aprovou uma lei para taxar a poluição que ignora o dióxido de carbono, um dos maiores contribuidores para o aquecimento global, segundo informação difundida através do ‘site’ do órgão legislativo máximo do país.