Impala

Maestro Diego Matheuz estreia-se em Portugal a dirigir Sinfónica Portuguesa

O concerto de hoje da Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) marca duas estreias em Portugal, a do maestro venezuelano Diego Matheuz e a audição de “Songs from The Wound-Dresser”, de John Adams.

Lisboa, 15 jan (Lusa) — O concerto de hoje da Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) marca duas estreias em Portugal, a do maestro venezuelano Diego Matheuz e a audição de “Songs from The Wound-Dresser”, de John Adams.


O concerto é às 17:00, no grande auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, com o barítono Christopher Maltman como solista, e no qual, além da peça de John Adams com poemas de Walt Whitman, é também interpretada a Sinfonia n.º1, “Titã”, de Gustav Mahler.


O maestro Diego Matheuz, nascido a 09 de agosto de 1984 em Barquisimeto, no oeste da Venezuela, é “um dos mais promissores talentos da América Latina” que fez a sua formação no denominado “Sistema Venezuelano”, segundo o TNSC.


Matheuz foi maestro titular do Teatro La Fenice, em Veneza, entre 2011 a 2015, e “aí continua a regressar, muito regularmente, para diversas colaborações”, acrescentou o TNSC.


De 2013, até ao ano passado, foi maestro titular convidado da Melbourne Symphony Orchestra.


Na direção musical de produções operísticas, Diego Matheuz colaborou, na atual temporada 2016/17, com a Deutsche Oper, em Berlim, onde dirigiou “Rigoletto”, de Verdi, em outubro último, e dirigirá, na Ópera Estatal Alemã (Deutsche Staatsoper), também na capital alemã, em maio próximo, “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini.


O TNSC afirma que, para a primeira apresentação da Sinfónica Portuguesa, este ano, no CCB, foi concebido um programa que reflete as ideias fundamentais da temporada sinfónica 2016/17, designadamente “a relação da orquestra com criadores de todas as artes, com a comunidade e com a história”, e “a relação com a contemporaneidade, um valor essencial da identidade da OSP”, citando Joana Carneiro, maestrina titular da OSP.


“Songs from the Wound-Dresser”, de John Adams, é uma obra para orquestra e barítono, a partir de um conjunto de poemas de Walt Whitman, “que é mais uma demonstração – evidente ao longo da carreira do compositor que este ano completa 70 anos de idade – do interesse de Adams pela literatura norte-americana”, segundo a mesma fonte.


“The Wound-Dresser” é uma obra “baseada na experiência de Walt Whitman como voluntário num hospital durante a Guerra Civil Americana [1861-1865], relatada no poema homónimo, mais tarde incluído na coletânea de poemas de guerra ‘Drum Taps’, de 1865, e que, por seu turno, integrará ‘Leaves of Grass’, o seu opus magnum”, lê-se no mesmo comunicado.


O TNSC realça que este texto de Whitman tem um “grande intimismo, profundamente humano e de enorme ternura”.


John Adams, por seu turno, “foi muito sensível a este poema, cujo caráter intimista e detalhe gráfico do imaginário o comoveram pela ternura que revelam no ato de cuidar os feridos e moribundos”.


O barítono britânico Christopher Maltman, de 46 anos, venceu o Great Elm Festival Vocal Award, em 1994.


Em recentes temporadas na Royal Opera House, em Londres, desempenhou, entre outros, os papéis de Conde Almaviva, da ópera “As bodas de Fígaro”, de Mozart, e o de Lescaut, em “Manon Lescaut”, de Puccini.


A Sinfonia n.º 1, de Gustav Mahler, composta entre 1883 e 1888, seguindo a tradição romântica, preenche a segunda parte do concerto.


A sinfonia do compositor austro-húngaro, nascido em Kalischt, Boémia (atual República Checa), foi estreada a 20 de novembro de 1889, em Budapeste, sob a batuta do próprio Mahler. Refere o TNSC que a reação do público foi “de grande frieza e resistência”, o que levou o compositor à revisão da partitura entre 1893 e 1896.



NL // MAG


Lusa/Fim


RELACIONADOS

Maestro Diego Matheuz estreia-se em Portugal a dirigir Sinfónica Portuguesa

O concerto de hoje da Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) marca duas estreias em Portugal, a do maestro venezuelano Diego Matheuz e a audição de “Songs from The Wound-Dresser”, de John Adams.