Impala

Girafas estão a desaparecer e vulneráveis a extinçao, alerta organismo ambientalista

O número de girafas selvagens caiu 40% nas últimas três décadas e a espécie está “vulnerável” à extinção, alertou a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Redação, 08 dez (Lusa) – O número de girafas selvagens caiu 40% nas últimas três décadas e a espécie está “vulnerável” à extinção, alertou hoje a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).


A entidade salientou que em 2015 o número de exemplares daquele que é o mais alto mamífero terrestre do mundo estava abaixo dos 100.000, especialmente devido à redução do habitat e à caça ilegal.


“Esses majestosos animais estão a sofrer uma extinção silenciosa”, disse Julian Fennessy, vice-presidente do grupo especializado em girafas do UICN, citado num comunicado.


As girafas eram classificadas até agora como um grupo menos preocupante na Lista Vermelha do organismo, que acompanha o estado de conservação da fauna e da flora e que termina com a categoria “extinto”.


As girafas estão espalhadas pelo sul e leste de África, com pequenas bolsas na África ocidental e central. Segundo o relatório, das nove subespécies quatro aumentaram mas as quatro maiores sofreram um decréscimo acentuado e uma manteve-se estável.


Segundo o UICN nos últimos 30 anos a quantidade de girafas no mundo desceu de 157.000 para 97.500.


O documento culpa o aumento do número de pessoas, que levou à invasão do habitat natural da girafa, e à caça furtiva. “Como um dos animais mais emblemáticos do mundo, está na hora de colocarmos o nosso pescoço no cepo pela girafa, antes que seja tarde de mais”, disse Fennessy.


O relatório sobre a girafa faz parte de uma atualização da Lista Vermelha do UICN divulgada numa reunião em Cancun, no México, sobre diversidade biológica.


O UICN acrescentou ao inventário das espécies globais 742 aves recém-descobertas mas disse que 11% já estavam em risco de extinção e que 13 espécies anteriormente conhecidas também já tinham desaparecido.


A avaliação global abrange 85.604 espécies de plantas e animais, dos quais 24.307 estão ameaçadas de extinção. Segundo o responsável há muitas espécies que estão a desaparecer antes mesmo de poderem ser descritas.


O planeta entrou num “evento de extinção em massa”, no qual as espécies estão a desaparecer 1.000 a 10.000 vezes mais rápido do que há um ou dois séculos, segundo cientistas, que admitem que no último meio milhão de anos houve seis eventos idênticos, alguns deles levando ao desaparecimento de 95% de todas as formas de vida.


A Lista Vermelha foi criada em 1963.



FP // SMA


Lusa/fim


RELACIONADOS

Girafas estão a desaparecer e vulneráveis a extinçao, alerta organismo ambientalista

O número de girafas selvagens caiu 40% nas últimas três décadas e a espécie está “vulnerável” à extinção, alertou a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).