Covid-19: Mais um óbito e 154 novas infeções em Moçambique

Moçambique registou a morte de mais um paciente infetado pelo novo coronavírus, elevando o número de óbitos para 121, tendo também 154 novas infeções, anunciou hoje o Ministério da Saúde.

Covid-19: Mais um óbito e 154 novas infeções em Moçambique

Covid-19: Mais um óbito e 154 novas infeções em Moçambique

Moçambique registou a morte de mais um paciente infetado pelo novo coronavírus, elevando o número de óbitos para 121, tendo também 154 novas infeções, anunciou hoje o Ministério da Saúde.

Um moçambicano, de 64 anos, perdeu a vida, numa unidade hospitalar da cidade de Maputo, após agravar-se o seu estado de saúde, referiu um comunicado de atualização de dados sobre a pandemia de covid-19 no país.

Com os 154 novos casos anunciados hoje, Moçambique contabiliza um cumulativo de 14.877 casos, dos quais 14.570 são de transmissão local e 307 casos são importados.

No documento, o ministério anuncia mais 204 casos dados como recuperados, subindo o total para 13.053 (87%), havendo ainda um cumulativo de 569 pacientes internados.

A capital moçambicana, cidade de Maputo, regista o maior número de infeções ativas, com 1.510, seguida das províncias de Cabo Delgado e Maputo província, ambas com 34, sendo que as restantes províncias tem menos de 30 casos.

O país testou um total de 218.726 pessoas suspeitas de infeção, desde o anúncio do primeiro caso em 22 de março.

Em África, há 48.681 mortos confirmados em mais de dois milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Angola regista 333 óbitos e 14.134 casos, seguindo-se Moçambique (121 mortos e 14.877 casos), Cabo Verde (104 mortos e 10.082 casos), Guiné Equatorial (85 mortos e 5.121 casos), Guiné-Bissau (43 mortos e 2.421 casos) e São Tomé e Príncipe (16 mortos e 974 casos).

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (mais de 5,9 milhões de casos e 168.061 óbitos), depois dos Estados Unidos da América.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

EYAC // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS