Cinema português «está de parabéns» com mais um prémio em Cannes

Cinema português «está de parabéns» com mais um prémio em Cannes

O secretário de Estado da Cultura afirmou que “o cinema português está de parabéns”, com o prémio conquistado por Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, na quarta-feira, no Festival de Cinema de Cannes, na França.

O filme português “Diamantino”, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, venceu o Grande Prémio da Semana da Crítica do Festival de Cinema de Cannes, que decorre até sábado naquela cidade do Sul de França.

Questionado pela agência Lusa, no parlamento, o governante congratulou-se pelo prémio, felicitou os realizadores e sublinhou a importância de “mais um prémio para o cinema português, vindo de um fórum do cinema tão importante como Cannes”.

O prémio foi atribuído por um júri, presidido pelo realizador Joachim Trier e composto pelos atores Chloe Sevigny e Nahuel Pérez Biscayart.

“Diamantino”, a primeira longa-metragem de ficção de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, conta “a história de Diamantino, interpretado pelo ator Carloto Cotta, uma superestrela do futebol mundial, cuja carreira cai em desgraça”.

Além de Carloto Cotta, o elenco desta coprodução entre Portugal, Brasil e França inclui Cleo Tavares, Anabela Moreira, Margarida Moreira, Carla Maciel, Filipe Vargas, Manuela Moura Guedes, Joana Barrios e Maria Leite.

LEIA MAIS: Pai de Luciana Abreu acusa-a de mentir sobre filmes pornográficos

“Diamantino”, refere a produtora, “vai ter estreia comercial em Portugal, numa data a anunciar brevemente”.

Gabriel Abrantes e o norte-americano Daniel Schmidt têm trabalhado juntos nos últimos anos em filmes como “Tristes Monroes” (2017) e “A History of Mutual Respect” (2010).

Além de “Diamantino”, havia outro filme português em competição na Semana da Crítica do Festival de Cinema de Cannes, a curta-metragem “Amor, Avenidas Novas”, de Duarte Coimbra, feita em contexto escolar e produzida pela Escola Superior de Teatro e Cinema.

O filme de Duarte Coimbra, de 21 anos, trabalho final do curso de Realização da Escola Superior de Teatro e Cinema e o primeiro “a sério” que fez, “é muito pessoal”.

O realizador quis fazer, como explicou em entrevista à Lusa, “uma história de amor, um filme romântico, que se passasse nos dias de hoje” em Lisboa, cidade onde cresceu e passa os dias. “Amor, Avenidas Novas, estreou-se no final de abril no IndieLisboa, nas competições nacional e internacional.

A 57.ª Semana da Crítica de Cannes, um dos programas paralelos do festival francês, decorre até hoje.

A 71.ª edição do Festival de Cinema de Cannes termina no sábado. Para o encerramento, Cannes escolheu “O homem que matou D. Quixote”, projeto antigo de Terry Gilliam agora concretizado, em estreia mundial no festival.

 


RELACIONADOS

Cinema português «está de parabéns» com mais um prémio em Cannes

O secretário de Estado da Cultura afirmou que “o cinema português está de parabéns”, com o prémio conquistado por Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, na quarta-feira, no Festival de Cinema de Cannes, na França.