Impala

Cervejas de Moçambique reduz importação de vidro em 4,5 ME graças a garrafas retornáveis

A empresa Cervejas de Moçambique (CDM) reduziu em 320 milhões de meticais (4,5 milhões de euros) a importação de vidro, graças a uma campanha de entrega de garrafas usadas, anunciou a empresa.

Maputo, 21 abr (Lusa) – A empresa Cervejas de Moçambique (CDM) reduziu em 320 milhões de meticais (4,5 milhões de euros) a importação de vidro, graças a uma campanha de entrega de garrafas usadas, anunciou a empresa.


Como estímulo, quem entrega uma garrafa de 330 mililitros retornável recebe 10 meticais (pouco mais de 10 cêntimos de euro) – estimando-se que já tenham sido entregues 275 milhões de meticais aos consumidores.


Por sua vez, a empresa poupa na distribuição da cerveja.


“Numa altura em que se observa uma subida generalizada de preços, o projeto tem permitido à CDM manter o preço das garrafas de 330ml retornáveis”, referiu em comunicado.


A produtora moçambicana de cervejas estima ainda que se registe um “impacto ambiental positivo” com uma redução de lixo nas ruas, graças à entrega das garrafas.


“Para que estes benefícios se propaguem, é necessário que todos mantenham o compromisso de escolher e devolver as garrafas de 330ml retornáveis”, lê-se na nota da CDM.


A campanha “Devolver” foi lançada em julho de 2016 e tem como objetivo converter as garrafas de 330ml das marcas nacionais 2M, Manica, Laurentina Preta e Laurentina Clara para garrafas retornáveis.



LFO // VM

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Cervejas de Moçambique reduz importação de vidro em 4,5 ME graças a garrafas retornáveis

A empresa Cervejas de Moçambique (CDM) reduziu em 320 milhões de meticais (4,5 milhões de euros) a importação de vidro, graças a uma campanha de entrega de garrafas usadas, anunciou a empresa.