Jovens alunos de Barcelos vencem Prémio Nacional de Engenharia COTEC
Impala

Jovens alunos de Barcelos vencem Prémio Nacional de Engenharia COTEC

Teve lugar no passado 31 de Maio de 2017, no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, a cerimónia de entrega do Prémio ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’.

O prémio que se destina a promover o gosto pela engenharia e pela ciência em Portugal em alunos do terceiro ciclo do ensino básico, reconhece e premeia Alunos ou Grupos de Alunos, Professores ou Grupos de Professores e Escolas ou Agrupamentos Escolares de todo o país, por atividades desenvolvidas em aulas experimentais e/ou de laboratório.

O concurso ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’ é promovido pela COTEC Portugal, em conjunto com quarenta e um dos seus Associados, patrocinadores do Prémio, e em parceria com o Ministério da Educação e Ciência.

Este ano foram recebidas 48 candidaturas de Alunos ou Equipas de Alunos e 21 candidaturas de Escolas ou Agrupamentos Escolares.

A este propósito, Jorge Portugal, Diretor-Geral da COTEC, fez notar que “os projetos a concurso são um bom exemplo do que é possível fazer para mostrar o poder e a utilidade para a vida prática do conhecimento científico. Mostram que é possível explorar na escola pública, maioria da origem dos projetos, novos caminhos para a aprendizagem, protagonizados pelos alunos e professores, mais interessantes e motivadores”.

O grande vencedor do Prémio foi o Projeto ALL ABOARD do Agrupamento de Escolas Vale de Tamel, com um kit de baixo custo para que alunos do 1.º ciclo, seus professores e pais possam aprender conceitos básicos de programação e electrónica.

Na secção de Escolas ou Agrupamentos Escolares, o vencedor foi o Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, de Vila Nova de Famalicão, que foi destacado pelo seu projeto pedagógico permanente de forte cariz experimental.

Por ocasião da entrega do Prémio, o Professor Eduardo Marçal Grilo, Presidente do Júri, disse ter ficado sensibilizado com a qualidade dos projetos apresentados e falando às dezenas de alunos presentes disse-lhe “Nunca hesitem: confiem em vocês, saiam dos vossos mundos. O mundo é muito maior do que possam imaginar (…) Vocês fazem parte desse mundo; não são observadores desse mundo; são atores diretos desse mundo” e terminou afirmando que “Todos nós temos talentos. Temos é que identificá-los, trabalhá-los e usá-los.”

A cerimónia foi encerrada pelo Secretário de Estado da Educação que lembrou que a formação “não para em abordagens rotineiras, de reprodução do que os outros disseram (…) a chave para ter boa ciência não é saber logo a resposta certa, é saber colocar a pergunta certa. Precisamos de experimentação, de criatividade, colocar questões, resolver problemas.”

Lista de Vencedores

I. Prémio para Alunos ou Equipas de Alunos (e correspondente Professor coordenador)

1.º lugar
All Aboard, Agrupamento de Escolas Vale de Tamel

A equipa All Aboard construiu um kit de baixo custo para que alunos do 1.º ciclo, seus professores e pais possam aprender conceitos básicos de programação e electrónica. O kit pode ser levado para casa pelos alunos e o professor não tem de ter qualquer formação específica na área de electrónica ou robótica. Mais do que um kit, o projeto é uma plataforma de ensino de programação com tutoriais em português e inglês, bem como vídeos das aulas, com desafios específicos que são resolvidos na aula seguinte.

2.º lugar
“O mundo na ponta do dedo”, Agrupamento Escolas São Gonçalo

Este projeto é um protótipo robótico que permite aos pacientes tetraplégicos ou com mobilidade reduzida nos membros superiores manipular autonomamente equipamentos informáticos (telemóveis, tablets, teclados de computadores ou comandos de televisão) que necessitem de movimentos manuais. O protótipo é um acessório simples, leve, de fácil transporte, adapta-se a qualquer equipamento existente, e tem várias interfaces para que se ajuste a diferentes deficiências (que permite aos pacientes usarem a testa/queixo ou a mão). A sua principal estrutura é adaptada de uma impressora.

3.º lugar
iSeeU, Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado

O iSeeU consiste num dispositivo que permite reduzir os sinistros rodoviários e/ou a sua gravidade de peões e ciclistas. Para tal, o dispositivo alerta, com um sinal sonoro e luminoso perto do guiador, os ciclistas e os peões sempre que um veículo motorizado se aproximar, em particular sempre que o mesmo se apresente fora do campo de visão do ciclista ou peão. O sensor do protótipo é acoplado ao selim da bicicleta. O projeto foi desenvolvido com o apoio e mentoria quer de empresas tecnológicas quer da academia.

Menção Honrosa
De visita ao museu? O Robot Ajuda!, Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide

Esta equipa construiu um robot guia que mostra (por ex., a pessoas com dificuldades locomotoras) as obras de arte (através de tablet do Museu ou smartphone da pessoa) de um determinado percurso num Museu. Os alunos não só construíram e programaram o robot guia como fizeram uma maquete do Museu com obras de arte, bem como um sistema de cartões com cores que permite simular os pedidos de percursos diferentes ao robot, que os executa, parando apenas nas obras de arte determinadas.

II. Prémio para Escolas ou Agrupamentos Escolares

1.º lugar
Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado

Agrupamento de Escolas que inclui desde o pré-escolar ao secundário e com ensino profissional e que oferece muitas atividades extracurriculares, desde clubes (Ciência, Science4All – que integra a Rede de Clubes Ciência Viva –, Astronomia, Energias Renováveis, Robótica, Programação informática, Europeu,…) a projetos, bem como atividades em outras áreas temáticas (música) ou desporto (11 desportos diferentes, até surf).

Para além de a escola manter um projeto pedagógico permanente de forte cariz experimental e com oferta variada criou, no ano lectivo de 2015/2016, e como resposta ao concurso ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’, o espaço Engenhari@EPBS. No ano lectivo 2015/2016 foram várias as centenas de alunos (de entre o total de 2800) que participaram nas atividades extracurriculares de índole experimental.

2.º lugar
Escola Básica e Secundária Vale do Tamel

Escola que integra alunos desde o pré-escolar ao 12.º ano de escolaridade e aposta na componente experimental do ensino. A Escola apresenta estruturas que as melhores escolas oferecem (laboratórios de ciências, salas TIC, Clube da Robótica, WebRádio, promove Semana das Ciências) para promover o gosto pela engenharia nos alunos, e foca-se claramente na tecnologia como um importante meio de ensino (disponibiliza computadores e interfaces/microprocessadores espalhados por toda a escola, em locais de convívio dos alunos e de acesso livre – com internet e software; a comunicação entre professores e alunos é feita através da plataforma online Office 365; a Escola tem sistemas de leitura digital de cartões para acessos a determinados espaços, criado pelos alunos; existência de uma equipa GTIC à qual compete criar condições de utilização dos recursos tecnológicos; a WebRádio é um projeto suportado pelo uso de ferramentas Web 2.0) e desenvolve a autonomia nos alunos e o seu envolvimento direto nos projetos, fazendo com que sejam eles próprios a construir os seus centros de experiências (caso do Clube de Robótica onde, por exemplo, os alunos é que fazem as placas de circuitos impressos, entre outros; e caso da WebRádio onde os alunos são responsáveis pela produção de conteúdos, pelo áudio e sua edição, e manutenção dos equipamentos).

3.º lugar
Agrupamento de Escolas

Teve lugar no passado 31 de Maio de 2017, no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, a cerimónia de entrega do Prémio ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’.

O prémio que se destina a promover o gosto pela engenharia e pela ciência em Portugal em alunos do terceiro ciclo do ensino básico, reconhece e premeia Alunos ou Grupos de Alunos, Professores ou Grupos de Professores e Escolas ou Agrupamentos Escolares de todo o país, por atividades desenvolvidas em aulas experimentais e/ou de laboratório.

O concurso ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’ é promovido pela COTEC Portugal, em conjunto com quarenta e um dos seus Associados, patrocinadores do Prémio, e em parceria com o Ministério da Educação e Ciência.

Este ano foram recebidas 48 candidaturas de Alunos ou Equipas de Alunos e 21 candidaturas de Escolas ou Agrupamentos Escolares.

A este propósito, Jorge Portugal, Diretor-Geral da COTEC, fez notar que “os projetos a concurso são um bom exemplo do que é possível fazer para mostrar o poder e a utilidade para a vida prática do conhecimento científico. Mostram que é possível explorar na escola pública, maioria da origem dos projetos, novos caminhos para a aprendizagem, protagonizados pelos alunos e professores, mais interessantes e motivadores”.

O grande vencedor do Prémio foi o Projeto ALL ABOARD do Agrupamento de Escolas Vale de Tamel, com um kit de baixo custo para que alunos do 1.º ciclo, seus professores e pais possam aprender conceitos básicos de programação e electrónica.

Na secção de Escolas ou Agrupamentos Escolares, o vencedor foi o Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, de Vila Nova de Famalicão, que foi destacado pelo seu projeto pedagógico permanente de forte cariz experimental.

Por ocasião da entrega do Prémio, o Professor Eduardo Marçal Grilo, Presidente do Júri, disse ter ficado sensibilizado com a qualidade dos projetos apresentados e falando às dezenas de alunos presentes disse-lhe “Nunca hesitem: confiem em vocês, saiam dos vossos mundos. O mundo é muito maior do que possam imaginar (…) Vocês fazem parte desse mundo; não são observadores desse mundo; são atores diretos desse mundo” e terminou afirmando que “Todos nós temos talentos. Temos é que identificá-los, trabalhá-los e usá-los.”

A cerimónia foi encerrada pelo Secretário de Estado da Educação que lembrou que a formação “não para em abordagens rotineiras, de reprodução do que os outros disseram (…) a chave para ter boa ciência não é saber logo a resposta certa, é saber colocar a pergunta certa. Precisamos de experimentação, de criatividade, colocar questões, resolver problemas.”

Lista de Vencedores

I. Prémio para Alunos ou Equipas de Alunos (e correspondente Professor coordenador)

1.º lugar
All Aboard, Agrupamento de Escolas Vale de Tamel

A equipa All Aboard construiu um kit de baixo custo para que alunos do 1.º ciclo, seus professores e pais possam aprender conceitos básicos de programação e electrónica. O kit pode ser levado para casa pelos alunos e o professor não tem de ter qualquer formação específica na área de electrónica ou robótica. Mais do que um kit, o projeto é uma plataforma de ensino de programação com tutoriais em português e inglês, bem como vídeos das aulas, com desafios específicos que são resolvidos na aula seguinte.

2.º lugar
“O mundo na ponta do dedo”, Agrupamento Escolas São Gonçalo

Este projeto é um protótipo robótico que permite aos pacientes tetraplégicos ou com mobilidade reduzida nos membros superiores manipular autonomamente equipamentos informáticos (telemóveis, tablets, teclados de computadores ou comandos de televisão) que necessitem de movimentos manuais. O protótipo é um acessório simples, leve, de fácil transporte, adapta-se a qualquer equipamento existente, e tem várias interfaces para que se ajuste a diferentes deficiências (que permite aos pacientes usarem a testa/queixo ou a mão). A sua principal estrutura é adaptada de uma impressora.

3.º lugar
iSeeU, Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado

O iSeeU consiste num dispositivo que permite reduzir os sinistros rodoviários e/ou a sua gravidade de peões e ciclistas. Para tal, o dispositivo alerta, com um sinal sonoro e luminoso perto do guiador, os ciclistas e os peões sempre que um veículo motorizado se aproximar, em particular sempre que o mesmo se apresente fora do campo de visão do ciclista ou peão. O sensor do protótipo é acoplado ao selim da bicicleta. O projeto foi desenvolvido com o apoio e mentoria quer de empresas tecnológicas quer da academia.

Menção Honrosa
De visita ao museu? O Robot Ajuda!, Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide

Esta equipa construiu um robot guia que mostra (por ex., a pessoas com dificuldades locomotoras) as obras de arte (através de tablet do Museu ou smartphone da pessoa) de um determinado percurso num Museu. Os alunos não só construíram e programaram o robot guia como fizeram uma maquete do Museu com obras de arte, bem como um sistema de cartões com cores que permite simular os pedidos de percursos diferentes ao robot, que os executa, parando apenas nas obras de arte determinadas.

II. Prémio para Escolas ou Agrupamentos Escolares

1.º lugar
Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado

Agrupamento de Escolas que inclui desde o pré-escolar ao secundário e com ensino profissional e que oferece muitas atividades extracurriculares, desde clubes (Ciência, Science4All – que integra a Rede de Clubes Ciência Viva –, Astronomia, Energias Renováveis, Robótica, Programação informática, Europeu,…) a projetos, bem como atividades em outras áreas temáticas (música) ou desporto (11 desportos diferentes, até surf).

Para além de a escola manter um projeto pedagógico permanente de forte cariz experimental e com oferta variada criou, no ano lectivo de 2015/2016, e como resposta ao concurso ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’, o espaço Engenhari@EPBS. No ano lectivo 2015/2016 foram várias as centenas de alunos (de entre o total de 2800) que participaram nas atividades extracurriculares de índole experimental.

2.º lugar
Escola Básica e Secundária Vale do Tamel

Escola que integra alunos desde o pré-escolar ao 12.º ano de escolaridade e aposta na componente experimental do ensino. A Escola apresenta estruturas que as melhores escolas oferecem (laboratórios de ciências, salas TIC, Clube da Robótica, WebRádio, promove Semana das Ciências) para promover o gosto pela engenharia nos alunos, e foca-se claramente na tecnologia como um importante meio de ensino (disponibiliza computadores e interfaces/microprocessadores espalhados por toda a escola, em locais de convívio dos alunos e de acesso livre – com internet e software; a comunicação entre professores e alunos é feita através da plataforma online Office 365; a Escola tem sistemas de leitura digital de cartões para acessos a determinados espaços, criado pelos alunos; existência de uma equipa GTIC à qual compete criar condições de utilização dos recursos tecnológicos; a WebRádio é um projeto suportado pelo uso de ferramentas Web 2.0) e desenvolve a autonomia nos alunos e o seu envolvimento direto nos projetos, fazendo com que sejam eles próprios a construir os seus centros de experiências (caso do Clube de Robótica onde, por exemplo, os alunos é que fazem as placas de circuitos impressos, entre outros; e caso da WebRádio onde os alunos são responsáveis pela produção de conteúdos, pelo áudio e sua edição, e manutenção dos equipamentos).

3.º lugar
Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Este Agrupamento desenvolveu o projeto “Robótica na Escola”, que engloba 4 vertentes de ensino/aprendizagem: Clube de Robótica, Disciplina de robótica no 8.º ano, Atividade extracurricular de robótica para os 3.º e 4.º anos, e Formação Creditada – Curso de Formação “RobôOeste”. A Escola apresenta infraestruturas físicas (laboratórios) e de material disponível adequadas a todo o projeto. Com o tema da robótica, a Escola consegue abordar um conjunto de disciplinas variado (nomeadamente incluindo as áreas de matemática, física, mecânica, electrónica, informática, línguas estrangeiras, design, …) e os resultados da escola são significativos em termos de interesse e motivação dos alunos pelas áreas das ciências e engenharias, que têm vindo a crescer.

São Gonçalo

Este Agrupamento desenvolveu o projeto “Robótica na Escola”, que engloba 4 vertentes de ensino/aprendizagem: Clube de Robótica, Disciplina de robótica no 8.º ano, Atividade extracurricular de robótica para os 3.º e 4.º anos, e Formação Creditada – Curso de Formação “RobôOeste”. A Escola apresenta infraestruturas físicas (laboratórios) e de material disponível adequadas a todo o projeto. Com o tema da robótica, a Escola consegue abordar um conjunto de disciplinas variado (nomeadamente incluindo as áreas de matemática, física, mecânica, electrónica, informática, línguas estrangeiras, design, …) e os resultados da escola são significativos em termos de interesse e motivação dos alunos pelas áreas das ciências e engenharias, que têm vindo a crescer.

Mais

RELACIONADOS

Jovens alunos de Barcelos vencem Prémio Nacional de Engenharia COTEC

Teve lugar no passado 31 de Maio de 2017, no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, a cerimónia de entrega do Prémio ‘Portugal, País de Excelência em Engenharia’.