José Carlos Malato celebra a vida para esconder a dor

Cinco mínis bem fresquinhas foram o consolo do apresentador da RTP mal deixou a mãe em casa, após as cerimónias fúnebres do progenitor, que morreu vítima de cancro aos 74 anos.

Abatido, triste, abalado e até envelhecido, assim era o rosto de José Carlos Malato nos dias que precederam a morte do pai, António Malato, de 74 anos, vítima de cancro, doença de que padecia desde agosto do ano passado.

«Obrigado em nome da minha família. A todos que me acompanharam nesta dura jornada. Chegou a minha vez de ocupar o cadeirão do pai! Com muito orgulho», escreveu após os dias mais duros de enfrentar, ao ser o apoio da mãe, Margarida, da irmã, Sandra, e dos próprios sobrinhos, Nuno e Fábio.

Os mais difíceis de enfrentar foram sem dúvida o do velório e cremação, onde Malato se mostrou forte, apesar de destroçado.

Veja mais aqui! www.novagente.pt


RELACIONADOS

José Carlos Malato celebra a vida para esconder a dor

Cinco mínis bem fresquinhas foram o consolo do apresentador da RTP mal deixou a mãe em casa, após as cerimónias fúnebres do progenitor, que morreu vítima de cancro aos 74 anos.