Cuca Roseta assume: «No dia em que tiver de morrer, morro»

Foi no lançamento do livro de Tony Carreira que a fadista falou sobre a ida a Israel e a segurança do país.

Cuca Roseta foi uma das convidadas de Tony Carreira no lançamento do livro «O Homem Que Sou», na tarde desta segunda-feira, dia 14 de maio. Em conversa com os jornalistas, a fadista falou sobre a ida a Israel e a segurança do país.

«Foi muito especial para mim. Eu sou católica e sempre fiz parte de vários grupos e todos eles iam a Jerusalém e eu não conseguia ir. Comecei a trabalhar muito cedo e depois fui mãe e nunca consegui fazer estas viagens longas. Agora fui cantar a Israel», começou por contar.

«Há sempre esse medo»

Comentando o facto de Israel ter ganhado a Eurovisão no sábado passado, dia 12 de maio, Cuca disse: «Ainda não tive oportunidade para viver a Eurovisão, vou ter de voltar para trás».

LEIA TAMBÉM: Cuca Roseta sofre com a ausência do marido

Relativamente à segurança que se sente no país, explicou: «Essa questão da segurança… Há sempre esse medo. Quando fomos cantar a Israel toda a gente disse ‘se calhar é melhor não irmos’».

«Como católica não tenho medo de nada, no dia em que tiver de morrer, morro. Essa questão da segurança para mim não é algo que me impeça de trabalhar e de continuar a fazer aquilo que eu estou na terra para fazer, que é usar o meu dom e dar aos outros», findou.

Fotos: Marco Fonseca/Impala e reprodução Instagram


RELACIONADOS