Impala

Presidente do Comité Olímpico da Irlanda reclama inocência na venda ilegal de bilhetes

O ainda presidente do Comité Olímpico da Irlanda, Patrick Hickey, acusado de integrar uma rede de revenda ilegal de bilhetes para os Jogos Rio2016, regressou no domingo a Dublin, pronto para “limpar o nome”.

Dublin, 19 dez (Lusa) — O ainda presidente do Comité Olímpico da Irlanda, Patrick Hickey, acusado de integrar uma rede de revenda ilegal de bilhetes para os Jogos Rio2016, regressou no domingo a Dublin, pronto para “limpar o nome”.


“É uma situação extremamente traumática para mim. Estou absolutamente inocente de todas as acusações”, escreveu Patrick Hickey, em comunicado.


Patrick Hickey foi detido a 17 de agosto, no Rio de Janeiro, acusado de integrar uma rede de revenda ilegal de bilhetes para o Rio2016, que teria gerado uma receita de, pelo menos, 2,8 milhões de euros, de acordo com a polícia brasileira.


O irlandês, de 71 anos, negou qualquer envolvimento com o caso, que implica nove outras pessoas, incluindo o vice-presidente John Delaney e o tesoureiro Kevin Kilty.


Patrick Hickey foi membro do Comité Olímpico Internacional desde 1995 e chefe dos Comités Olímpicos Europeus, tendo sempre manifestado que era “completamente inocente” das acusações feitas pela justiça brasileira.


Após dois meses em prisão domiciliária, um tribunal brasileiro decidiu restituir-lhe o passaporte para que pudesse regressar à Irlanda, por questões de saúde, mas teve de pagar uma caução de 410.000 euros.


A 15 de dezembro, O Comité Olímpico da Irlanda anunciou que vai eleger um novo presidente a 09 de fevereiro.



NF (MZS) // NFO


Lusa/fim


RELACIONADOS

Presidente do Comité Olímpico da Irlanda reclama inocência na venda ilegal de bilhetes

O ainda presidente do Comité Olímpico da Irlanda, Patrick Hickey, acusado de integrar uma rede de revenda ilegal de bilhetes para os Jogos Rio2016, regressou no domingo a Dublin, pronto para “limpar o nome”.