Impala

LusaÁudio: Rui Vitória rejeita “conforto” pela vantagem pontual sobre rivais diretos

O treinador do Benfica afirmou não sentir “conforto” pela vantagem pontual sobre os mais diretos rivais e frisou que a liderança da I Liga portuguesa de futebol vai ser disputada pelos três ‘grandes’ até final.

Lisboa, 16 dez (Lusa) – O treinador do Benfica afirmou hoje não sentir “conforto” pela vantagem pontual sobre os mais diretos rivais e frisou que a liderança da I Liga portuguesa de futebol vai ser disputada pelos três ‘grandes’ até final.


Rui Vitória, que fazia a antevisão da partida de sábado com o Estoril-Praia, da 14.ª jornada, considerou que “falta muito campeonato”, apesar de os ‘encarnados’ terem, nesta altura, um ponto de vantagem sobre o FC Porto, que tem mais um jogo disputado, e cinco sobre o Sporting.


“Não vejo conforto nenhum nestas questões. A nossa perspetiva é sempre conquistar três pontos e trabalhar em cima de vitórias. É como se houvesse ali uma final e todos os jogos têm de ser encarados assim. Quem os encarar assim, fica mais perto de vencer”, disse, em conferência de imprensa.


De resto, o técnico benfiquista vincou que há “três candidatos a vencer o campeonato”, além de outros três emblemas que poderão desempenhar um papel ativo no desfecho do título.


“Estamos na presença de três candidatos a vencer o campeonato, mas depois há também um Braga, um Vitória [de Guimarães] e um Chaves, que estão a fazer excelentes campanhas. Estão próximos e ainda há confrontos diretos que podem tirar pontos. O FC Porto é o segundo, mas isto vai ser uma luta renhida e estamos preparados para ela”, salientou.


Os ‘dragões’ estão neste momento a apenas um ponto do Benfica, após terem antecipado e vencido o encontro da 15.ª jornada com o Marítimo, sendo que Rui Vitória negou que as ‘águias’ estejam mais pressionadas por essa diferença pontual.


“É algo para o qual estamos preparados. Isto serve para alimentar a comunicação social, mas o nosso foco é sempre o mesmo. Pressão é estar nesta época natalícia e haver pessoas que não têm dinheiro para as prendas dos filhos ou não têm saúde. A nossa pressão é boa. Estamos preparados para jogar antes ou depois. Isso não mexe connosco”, afirmou.


Por outro lado, Rui Vitória diz esperar um Estoril-Praia reativo, após a saída do treinador Fabiano Soares, que esta semana foi substituído pelo espanhol Pedro Gómez Carmona.


“Normalmente, o que acontece é uma reação dos jogadores, porque muda a cara, há uma tentativa de mostrar capacidades. Ainda assim, não acredito muito nas questões repentinas. Sou mais favorável ao trabalho a longo prazo. Espero uma equipa a tentar mostrar ao novo treinador a qualidade que tem. Espero um jogo complicado”, antecipou.


O técnico dos tricampeões nacionais explicou ainda o momento que Jonas atravessa, após ter adiantado, na quarta-feira, que a situação do avançado brasileiro é “um tanto ou quanto periclitante”.


“Eu disse periclitante, porque é algo que tem de ser analisado dia a dia. De repente, pode estar disponível. É preciso cuidado para não se correr riscos. É só analisar o que é melhor para nós e para o Jonas. Já agora, aproveito e adianto que o Jonas está convocado para este jogo”, referiu.


Já no que diz respeito à reabertura do ‘mercado’, em janeiro, Rui Vitória foi perentório: “Estou muito contente com a minha equipa. O que mais quero é ter todos os jogadores à minha disposição e que eles fiquem zangados por não os poder escolher.”


O Benfica, líder com 32 pontos, joga no reduto do Estoril-Praia, 11.º com 15, no sábado, a partir das 20:30, num encontro que será dirigido pelo árbitro Bruno Paixão, da Associação de Futebol de Setúbal.



MYO // VR


Lusa/Fim


RELACIONADOS

LusaÁudio: Rui Vitória rejeita “conforto” pela vantagem pontual sobre rivais diretos

O treinador do Benfica afirmou não sentir “conforto” pela vantagem pontual sobre os mais diretos rivais e frisou que a liderança da I Liga portuguesa de futebol vai ser disputada pelos três ‘grandes’ até final.