Boavista impõe-se ao Vizela no prolongamento e segue na Taça de Portugal

O Boavista apurou-se hoje para a quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol, ao vencer no terreno do Vizela por 1-0, com um golo de Yusupha Njie no prolongamento, em jogo da terceira ronda.

Boavista impõe-se ao Vizela no prolongamento e segue na Taça de Portugal

Boavista impõe-se ao Vizela no prolongamento e segue na Taça de Portugal

O Boavista apurou-se hoje para a quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol, ao vencer no terreno do Vizela por 1-0, com um golo de Yusupha Njie no prolongamento, em jogo da terceira ronda.

O avançado gambiano resolveu a eliminatória a favor da ‘turma’ da I Liga portuguesa de futebol aos 104 minutos, graças a um cabeceamento certeiro após livre de Yanis Hamache, num embate intenso e até ‘duro’, em que os anfitriões, nonos classificados da II Liga, criaram as melhores ocasiões no tempo regulamentar.

Intensa na pressão aos jogadores ‘axadrezados’ e rápida a construir os ataques, a equipa da II Liga só não chegou à vantagem nos primeiros 15 minutos por falta de pontaria: Kiko Bondoso atirou ao lado na pequena área, aos seis, e Koffi acertou no poste, aos sete.

O Boavista respondeu com ‘disparos’ de longe, quer de Sebastián Pérez, aos 16 minutos, quer de Paulinho, aos 20, e equilibrou um desafio que, a partir daí, ficou quase sempre confinado ao meio-campo, com vários duelos físicos.

A toada de luta manteve-se no início da segunda parte, com os anfitriões a ‘soltarem-se’ mais vezes do bloqueio a meio-campo graças à velocidade de Koffi e de Francis Cann na ala direita e a ameaçarem de novo o golo, num cabeceamento de Cassiano, aos 61 minutos.

O jogo prosseguiu ‘batalhador’, com as oportunidades de golo a reaparecerem nos últimos 15 minutos do tempo regulamentar: a formação do Porto falhou o alvo em remates de Hamache (75 minutos) e de Yusupha (81 e 83), enquanto os vizelenses estiveram perto do golo num remate de Francis Cann (78) e num cabeceamento de Fernando Cardozo (90+4).

Após as perdas de Miguel Reizinho e de Paulinho, por lesão, o Boavista aproveitou o ligeiro ascendente na primeira parte do prolongamento para fazer o golo decisivo, antes de sofrer para conter a reação vizelense nos últimos 15 minutos, que culminou com uma bola na trave, aos 120.

Jogo no Estádio do Futebol Clube de Vizela.

Vizela – Boavista, 0-1.

No final do tempo regulamentar: 0-0.

No final da primeira parte do prolongamento: 0-1.

Marcador:

0-1, Yusupha Njie, 104 minutos.

– Vizela: Pedro Silva, Koffi, Leonel Mosevich (Matheus Costa, 106), Mohamed Aidara, Ofori (Kiki Afonso, 91), Marcos Paulo (Ericson, 106), Samu, Fernando Cardozo (André Soares, 106), Francis Cann, Kiko Bondoso (Tavinho, 91) e Cassiano (Diogo Ribeiro, 106).

(Suplentes: Manuel Balde, Matheus Costa, Kiki Afonso, Ericson, André Soares, Tavinho e Diogo Ribeiro).

Treinador: Álvaro Pacheco.

– Boavista: Léo Jardim, Reggie Cannon, Cristian Devenish (Jackson Poroso, 91), Chidozie, Yanis Hamache, Javi García, Sebastián Pérez (Miguel Reisinho, 46) (Show, 71), Angel Gomes (Jorge Benguché, 97), Gustavo Sauer, Paulinho (Nathan, 90) e Yusupha Njie.

(Suplentes: João Gonçalves, Nathan, Jackson Poroso, Show, Miguel Reisinho, Tiago Morais e Jorge Benguché).

Treinador: Vasco Seabra.

Árbitro: António Nobre (Associação de Futebol de Leiria).

Ação Disciplinar: Cartão amarelo para Paulinho (18), Sebastián Pérez (28), Samu (30), Koffi (45), Javi Garcia (61), Aidara (80), Yusupha (89 e 120+1), Francis Cann (98), Leonel Mosevich (102), Show (105+1), Matheus Costa (107) e Léo Jardim (112). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para Yusupha (120+1).

Cartão vermelho para o treinador do Vizela, Álvaro Pacheco (112).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

TYME // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS